Marcos Alcântara entrega uma Fundação bem melhor

 

Nesta sexta-feira (30)  o menino pobre que um dia foi Drumonzinho e sonhou alto quando ainda encantava vários públicos ao recitar os poemas de Carlos Drummond Andrade (o Poeta Maior) por diversos rincões deste Brasil, sai, mas deixa seu legado e o nome na historia cultural de Itabira. 

 

Marcos Alcântara

Ele, com seu jeito humilde de ser e sabedor culturalmente falando do que o público gosta, conseguiu chegar ao cargo de Superintendente da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA), cargo que quase lhe dava status de secretário, sem deixar isso subir a sua cabeça, cumpriu seu papel.

Frente à fundação, com poucos recursos, principalmente devido à crise, conseguiu trazer diversos atrativos culturais e musicais de alto nível para o município, como shows, arte, exposições e muita cultura. Pegou o teatro da fundação já interditado, desnecessariamente para tal, como bem disse ele em entrevista, pois os reparos necessários poderiam ser feito paulatinamente um a um.

Mas sem estremecer deu conta disso e muito mais, e nesta noite de sexta-feira, 30 de dezembro de 2016, faltando apenas um dia para que ele deixe o cargo que hora lhe foi confiado, Marcos Alcântara pode reabrir e entregar para a população itabirana um teatro bem melhor, e para fechar com chave de ouro, contou com três apresentações excelentes e de alto nível, Conection Crew, Nosso Fulcro e A Palo Seco.

 

Written by Átila Lemos

Usuario para Backup de notícias