Home / Crimes / Homem é o primeiro executado a tiros de 2017

Homem é o primeiro executado a tiros de 2017

Um jovem de 24 anos foi o primeiro executado a tiros em 2017. O crime foi registrado pela Policia Militar de Itabira. A vítima não resistiu aos ferimentos provocados pelos tiros na noite desta segunda-feira, 9 de janeiro. 

Itabira/MG – O crime foi registrado pela Policia Militar na Rua Sebastião Calixto da Mata, na Vila São Geraldo. A vitima identificada como Leomar Henrique de Sena, de 24 anos, foi alvejada com vários tiros. Mesmo sendo socorrido por uma equipe do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), ele não resistiu aos ferimentos e morreu no Pronto Socorro Municipal.

De acordo com a Polícia Militar, a Central de Operações (COPOM) recebeu denúncias informando que haviam ocorrido vários disparos de arma de fogo na referida rua e que teria uma vítima ferida no local. O SAMU, da mesma forma, recebeu o chamado e enviou ao local a Unidade de Suporte Avançado (USA) com um médico.

A vitima foi encontrada caída sob uma possa de sangue que saia da região da cabeça. De imediato ele foi imobilizado e levado com urgência para o pronto socorro. Após dar entrada na unidade de saúde, não resistiu aos ferimentos e morreu depois de uma parada respiratória.

Na cena do crime foram recolhidas várias cápsulas e projeteis aparentando ser de calibre 380. Segundo populares o atirador estava em um Fiat Punto que, após os disparos, saiu em alta velocidade em direção aos Bairros Juca Rosa ou Praia.

De acordo com a Polícia Militar, a vitima tem passagem pela polícia por ameaça e era investigado por suspeita de envolvimento numa tentativa de homicídio ocorrido em dezembro do ano passado no bairro Água Fresca. A Policia Civil também esteve no local juntamente com a Pericia técnica. Os investigadores vão verificar se este crime teria ligação com a tentativa de homicídio de dezembro, ou se teria alguma outra motivação que ainda não foi informada por amigos e parentes da vitima.

Os militares realizaram intenso rastreamento pela região, mas até o momento nenhum suspeito foi detido.