Agronegócio pode ser importante caminho para diversificar economia de Itabira

Itabira/MG – A Acita, Associação Comercial, Industrial de Serviços e Agropecuária de Itabira, promoveu na tarde de quarta-feira, 21 de junho, o 2º Seminário WIN Agronegócio. O evento proporcionou uma discussão sobre a preparação do plano de ação para definir o cenário do agronegócio no município nos próximos 15 anos. Com uma participação ativa de produtores rurais da região, entidades representativas como Emater – Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais e Sindicato Rural e do poder público, foram analisadas várias propostas para o desenvolvimento do setor e ainda, formou-se uma Comissão de Coordenação do Plano, composta por entidades ligadas ao agronegócio. O Plano de Ação será ser finalizado e apresentado em agosto.

“É importante salientar que ninguém sozinho consegue promover a diversificação, cada um como cidadão, precisa assumir o seu papel. Este plano de ação é o primeiro passo para estabelecer políticas de planejamento, um ponto de partida muito importante”, disse Eugênio Müller, Presidente da Acita, durante o evento enquanto apresentava as propostas para a elaboração do Plano.

Eugênio destacou ainda, o potencial do agronegócio no país e em Minas Gerais. De acordo com o Presidente da Acita o agronegócio tem que ser tratado como uma cultura empreendedora com potencial para garantir o fortalecimento da economia local. “O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio teve um crescimento de 8,2% no ano passado em Minas, isso mostra a força do setor para a nossa economia”.

Em Itabira a extensa área territorial na zona rural é um fator que favorece o agronegócio. As propostas apresentadas visam o fortalecimento do setor com o envolvimento de todos os atores do segmento, produtores rurais, entidades e poder público.

O Secretário Municipal de Agricultura e Abastecimento, William Gazire, participou do evento e elogiou o trabalho desenvolvido para fortalecer o agronegócio em Itabira. “O trabalho foi muito bem desenvolvido com a participação de todos. Acredito que o poder público tem interesse no crescimento do setor e vamos colocar os recursos disponíveis, queremos somar esforços”, ressaltou o Secretário.

Outro representante do executivo municipal que participou do evento foi o Secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Turismo, José Don Carlos. Ele também destacou a importância do agronegócio para a economia local. “É importante para a nossa cidade a solidificação do agronegócio, a gente percebe o envolvimento de todos, inclusive do governo. Acredito que esta ação seja o alicerce para que o agronegócio se torne um dos pilares para a diversificação econômica”, pontuou.

Propostas para o Plano de Ação

As ações propostas definidas no 1º Seminário, realizado em março, apontaram os gargalos e oportunidades dentre eles: insumos, máquinas e equipamentos agrícolas, mão de obra, assistência Técnica, Crédito rural, legislação, processamento e mercado.

As ideias foram trabalhadas pela comissão e irão compor o plano de ação. As sugestões apresentadas foram divididas em dois blocos, um que pode ser trabalhado pelos setores envolvidos do agronegócio e outro que depende diretamente da participação do poder público municipal.

As propostas que já podem iniciar os trabalhos, por meio da participação de produtores e demais envolvidos são: criar uma central de compras, para favorecer o produtor rural; criar meios de comunicação para melhor interação entre os envolvidos; viabilizar espaço para eventos de compra e venda de máquinas; viabilizar um banco de oportunidades de trabalho e capacitação; formar um Fórum para melhorar o acesso ao crédito rural, ter um plano de pesquisa agropecuária e um plano de segurança rural.

Outras propostas dependem diretamente do envolvimento e investimento do poder público municipal como: estudo e criação de uma incubadora alimentícia; criar programas de incremento à produção; aumentar a assistência técnica pública e particular; criar programas de educação para a sucessão rural; regulamentar o Temo de Ajuste de Conduta (TAC) para a produção do queijo na região; e criar programas de melhoria do acesso às estradas rurais.

Os indicadores serão consolidados e o Plano de Ação será apresentado no evento WIN, que vai acontecer em Itabira no segundo semestre de 2017.