Paulo Soares cobra da Vale contratar mão de obra de Itabira

Na opinião do sindicalista, Itabira merece uma atenção maior da empresa, principalmente pela produção elevada e pelos lucros exorbitantes gerados pela mão de obra local.

Paulo Soares - presidente do Sindicato Metabase

O vereador e presidente do Sindicato Metabase de Itabira e Região, Paulo Soares de Souza (PRB), aproveitou a segunda rodada de negociação com a Vale na quarta-feira (18) para tratar do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) e cobrou dos diretores da empresa a prioridade na contratação da mão de obra itabirana.

Em um discurso direto e sem esconder a sua indignação, Paulo Soares relatou aos diretores que os “desempregados têm sofrido com a contratação de trabalhadores de outras cidades tanto pela mineradora quanto pelas empreiteiras”.

Paulo Soares deixou claro que seu posicionamento não é contrário aos trabalhadores de outras cidades, mas solicitou aos dirigentes da Vale um posicionamento. Na opinião do sindicalista, Itabira merece uma atenção maior da empresa, principalmente pela produção elevada e pelos lucros exorbitantes gerados pela mão de obra local.

Esta bandeira tem sido defendida pelo vereador desde o seu primeiro mandato na Câmara Municipal, mas tem sido intensificada nos últimos meses, principalmente com o aumento do índice de desemprego no município. Conforme contou durante as negociações, muitos desempregados têm procurado a Câmara Municipal para reivindicar mais oportunidades.

“Estamos cobrando da Vale uma postura, uma solidariedade maior com a cidade, por isso estamos pedindo que a empresa dê oportunidade aos desempregados itabiranos. Não é obrigar os empreiteiros, mas não dá para trazer 80 trabalhadores de fora, com 16 mil desempregados em nossa cidade. Estamos sendo crucificados com isso, estamos sendo prejudicados por esta postura da Vale, eu queria que vocês olhassem para a questão de Itabira, porque estamos vivendo uma situação muito difícil, existem pessoas passando necessidade lá”, disse o vereador e sindicalista aos diretores da mineradora.

Ainda de acordo com Paulo Soares, a empresa deveria pensar também nos lucros e na produção que o município gera com as suas minas e a mão de obra local.

“Isso [falta de contratação] é uma covardia com uma cidade que vai gerar 1,2 bilhão de lucro para a empresa. Então, estou pedindo que isso seja valorizado, Itabira merece, essa empresa nasceu lá e ainda somos um dos carros chefe da Vale”, disse o presidente do Metabase na mesa de negociação.