Abertura oficial dos “16 Dias de Ativismo”

16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher

Foi oficialmente dada abertura da campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher”, em Itabira.

No teatro da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA) foi realizada a abertura oficial nesta segunda-feira, 27 de novembro, dos trabalhos com exposição de fotos, textos, Acolhimento e Encaminhamento das Mulheres Vitimas de Agressão.

Na abertura houve a presença da Juíza Dra Cibele Mourão; da Delegada Dra Amanda Machado Celestino, do Presidente da Câmara de vereadores, Neidson Dias Freitas, da vice prefeita Dalma Barcelos e da Tenente Miriam da Policia Militar.

Em sua fala a Juíza Cibele Mourão frisou sobre a importância do evento, que tem a intenção de conscientizar a sociedade para enfrentar a questão da violência contra a Mulher com seriedade e fazer as denuncias contra os agressores.

Câmara discute violência contra mulher na quarta-feira

Na quarta-feira, 29 de novembro, às 18 horas, a Câmara Municipal de Itabira promove uma audiência pública sobre a violência contra a mulher. A ação proposta pelo presidente da Câmara, Neidson Dias Freitas (PP), faz parte da campanha internacional “16 Dias de Ativismo”. Diversas autoridades participam da audiência pública, que terá apresentação de pesquisas e dados estatísticos, inclusive sobre Itabira.Itabira/MG – Participam dos debates diversas instituições, como Polícia Civil, Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Ministério Público, Instituto Albam, Ordem dos Advogados do Brasil, Prefeitura, dentre outras. Em Itabira, a campanha dos “16 Dias de Ativismo” é promovida pela Comissão Municipal de Enfrentamento à Violência Doméstica e Sexual, que tem representantes de vários segmentos da sociedade.Abertura

Amanda Machado – Delegada de Polícia

A solenidade de abertura oficial da mobilização aconteceu nesta segunda-feira, 27 de novembro, no Teatro da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA). Além dos discursos das autoridades, comoveu a plateia o depoimento de Arlete da Consolação Silveira, itabirana que foi vítima do marido quando morava no Pará. Ela disse que ainda têm no corpo marcas de facadas e outros golpes desferidos pelo ex-companheiro. Um dia, quando não aguentava mais, juntou as filhas e fugiu de casa com a ajuda de terceiros.

A delegada especializada em atendimento à mulher, doutora Amanda Machado, também citou trechos de boletins de ocorrência que deixaram o público inquieto. São agressões porque a mulher saiu para trabalhar, porque o café não estava na temperatura ideal, porque havia uma suspeita de traição… Em entrevista à imprensa na última sexta-feira, a delegada informou que mais de 100 homens foram presos em flagrante por crimes contra a mulher em Itabira somente em 2017.

Exposição fotográfica
Como parte da campanha, a Câmara Municipal vai receber, nos dias 28 e 29 de novembro, a exposição fotográfica “Ajudem Aquela”, da ONG Filhas de Frida. A exposição retrata casos reais de violência contra a mulher e foi aberta ao público também na Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA).

Matérias relacionadas

Itabira adere campanha 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra mulher

Cresce número de mulheres vítimas de abuso sexual e violência doméstica