Brasileiro fará palestra em Fórum Global de Filantropia na Suíça

Fábio Bibancos é fundador da ONG Turma do Bem

Divulgação

Fundador e presidente voluntário da Turma do Bem, Fábio Bibancos será um dos seis palestrantes do Venture Lab, sessão especial que integra o UBS Global Philanthropy Forum. Na palestra, prevista para 8 de dezembro, Bibancos destacará os 15 anos da organização que se tornou a maior rede de voluntariado especializado do mundo, com mais de 17 mil dentistas, atuando em 14 países. 

– Com o tema “Novos caminhos para impactar”, o Fórum Global de Filantropia acontece de 8 a 10 de dezembro, em Saint Moritz, Suíça. Referência no tema, o evento reúne mais de 200 filantropos, especialistas e empreendedores sociais de todo o mundo.    

De acordo com análises do UBS, cerca de metade dos empreendimentos sociais desaparece depois de cinco anos de operação; muitas das iniciativas fracassam pela dependência de investidores sociais ou por apresentarem um único modelo de geração de recursos. Na contramão dessa tendência há empreendedores sociais que lideram organizações com sistemas de financiamento criativos e diversificados para assegurar um modelo sustentável de atuação socioambiental. Nesse contexto, a Turma do Bem comemora 15 anos, contabilizando o atendimento a mais de 70 mil jovens e 1.000 mulheres, anualmente. O case brasileiro será um dos destaques do UBS Global Philanthropy Forum.

Criada pelo cirurgião-dentista Fábio Bibancos, a organização se tornou a maior rede de voluntariado especializado do mundo, com mais de 17 mil dentistas atuando em 14 países. Vencedor da 8º edição do Visionaris – Prêmio UBS ao Empreendedor Social, Bibancos fará palestra no dia 8 de dezembro, em Saint Moritz, na Suíça.

Para uma plateia com mais de 200 filantropos, especialistas e empreendedores sociais, Bibancos detalhará a atuação da organização que promove a inclusão social por meio do sorriso. Na prática, uma OSCIP que oferece mais do que tratamentos odontológicos e ortodônticos: resgata a autoestima e a possibilidade de uma vida plena de jovens em situação de risco social e mulheres vítimas de violência. Estima-se que o retorno para sociedade, com os tratamentos conduzidos pelos Dentistas do Bem, aproxime-se hoje de R$ 1 bilhão.

“Criei um projeto social baseado em uma aflição; uma iniciativa que se tornou um projeto mundial. Estou muito honrado com o convite para palestrar no Fórum Global de Filantropia, especialmente porque traz visibilidade a uma urgência. O nosso país tem que mudar. Nós vamos ter que arrumar a nossa casa; fazer as mudanças necessárias. Queremos atender mais e mais pessoas. Para isso, fomentar a cultura de inovação social, construindo negócios de impacto social disruptivos”, afirma dr. Fábio Bibancos.

Para o UBS, um empreendedor social é uma pessoa extraordinária que possui visão, criatividade e determinação de um empreendedor de negócios; uma pessoa que usa essas qualidades para projetar soluções sistêmicas no intuito de atacar problemas sociais complexos.

Turma do Bem

Turma do Bem é a maior rede de voluntariado especializado do mundo, com mais de 17 mil dentistas atuando em 14 países. Com o projeto Dentista do Bem, a organização oferece atendimento odontológico gratuito à população de baixa renda em condição de vulnerabilidade social e com graves problemas bucais: jovens de 11 a 18 anos. No projeto Apolônias do Bem, atendem mulheres vítimas de violência doméstica. Com a expansão internacional da TdB, foi criado o prêmio Melhor Dentista do Mundo, para reconhecer o profissional que mais fez pelo próprio município, ou seja, além de atender a jovens e crianças, fez a diferença na sua cidade e região, conquistando mudanças nas políticas públicas, espaços na imprensa, divulgações do projeto e o aumento de parcerias e voluntários.

Em 15 anos, a Turma do Bem impactou mais de 70 mil jovens e 1.000 mulheres. A proposta da organização é promover a inclusão social por meio do sorriso, oferecendo não só tratamentos odontológicos e ortodônticos  mas o resgate da autoestima e a possibilidade de uma vida plena. Estima-se que o retorno para sociedade com os tratamentos aproxime-se hoje de R$ 1 bilhão.