Escola Marphiza é finalista nacional do 12º Prêmio Itaú-Unicef

Com o projeto ‘Academia de Letras Infantojuvenil em Escola Pública’, em parceria com a Academia Brasileira de Autores Aldravianistas Infantojuvenil, a instituição municipal venceu a etapa regional, na categoria microporte.

A 12ª edição do Prêmio Itaú-Unicef premiou quatro parcerias (organização da sociedade civil e escola pública) de Minas Gerais na fase regional, dentre elas, a Escola Municipal Marphiza Magalhães Santos, de Santa Bárbara.

Santa Bárbara/MG – Vencedora da etapa regional, a instituição representará o Estado, na categoria microporte, na fase nacional que acontecerá no dia 11 de dezembro, no auditório do Ibirapuera, em São Paulo. Criado em 1995, num contexto de mudanças sociais na perspectiva da garantia de direitos, o Prêmio já recebeu mais de 17 mil inscrições, premiando iniciativas em mais de 1700 cidades.A Academia Brasileira de Autores Aldravianistas Infantojuvenil (Abraai) é a organização parceira da Escola Marphiza nesse prêmio, que objetiva reconhecer, estimular e dar visibilidade ao trabalho das organizações da sociedade civil e escolas públicas, para a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, de 6 aos 18 anos.

De acordo com a diretora Claydes Regina Ricardo, essa parceria já dura dois anos e tem contribuído para ampliar o campo de relações dos alunos, apresentando a eles outras possibilidades. “Parceria é a colaboração mútua na qual as partes buscam a realização de objetivos comuns, com atividades específicas. E articular tudo isso exige planejamento, presença, amarração, negociação e registro do processo, para não perder o sentido e saber aonde se quer chegar”, frisou. Para ela, foi pensando e agindo assim que a Escola e a Abraai conquistaram o primeiro lugar regional, nessa categoria.

A Escola e a Abraai receberam, na última semana, a equipe de filmagem Cabeça Amarela, parceira do Prêmio Itaú-Unicef, para um dia de filmagens. Na ocasião, os alunos mostraram um pouco do trabalho e das aprendizagens desenvolvidos, como intervenção poética, declamação de aldravias, depoimentos de pais, alunos, funcionários, oficinas de produção, indicação literária, intervenção em espaços físicos, dentre outras ações.

Avaliação Nacional da Alfabetização
O jornal Estado de Minas destacou o resultado da Escola Marphiza Magalhães Santos na Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA), divulgado, recentemente, pelo Ministério da Educação, associando o bom desempenho da instituição ao projeto inscrito no prêmio Itaú-Unicef. Foram os resultados ruins que levaram a Escola, há dois anos, a buscar meios de inserir a leitura na rotina dos estudantes. A partir disso, foi criada uma roda literária que apresentou as aldravias aos alunos e levou, por consequência, a parceria com a Abraai.