HNSD alerta para golpe financeiro contra pacientes hospitalizados

Criminosos têm ligado para familiares de pessoas internadas na instituição solicitando depósito em dinheiro para custear tratamentos médicos.

Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD), tradicional prestadora de serviço de saúde em Itabira e região, alerta aos seus usuários sobre uma nova modalidade de extorsão que vem sendo aplicado contra pacientes hospitalizados. Criminosos têm ligado para familiares de pessoas internadas na instituição solicitando depósito em dinheiro para custear tratamentos médicos.

Itabira/MG – Dentre as políticas do hospital, é vedada a utilização de quaisquer meios de contato para pedir que valores ou depósitos sejam feitos em nome de pacientes internados. Dessa forma, o HNSD orienta que os familiares dessas pessoas não façam qualquer movimentação financeira a fim de atender a essas solicitações.

Caso receba alguma ligação nesse sentido, a direção do hospital pede que as pessoas entrem em contato com as autoridades para que possam verificar a situação. Em caso de dúvidas a respeito de solicitações feitas em nome do HNSD, o usuário deve entrar em contato com a instituição pelo telefone (31) 3839-1400.

Histórico
Os estelionatários têm entrado em contato com familiares de pacientes se identificando como médicos e alegando que tanto o hospital quanto os planos de saúde não possuem recursos para o custeio de tratamentos médicos. Para garantir o atendimento, são pedidos depósitos em dinheiro. Esse golpe vem sendo aplicado em todo país.

Na quinta-feira, 2 de novembro, feriado de Finados, todos os parentes de pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (U.T.I) do HNSD receberam esse tipo de ligação. Alertada sobre a situação, a equipe do hospital entrou em contato com essas pessoas para desmentir a solicitação e garantir que os pacientes seguem sendo atendidos normalmente. A ação impediu que ao menos duas famílias caíssem no golpe.

O HNSD ressalta que todos os seus colaboradores são proibidos de transmitir qualquer informação sobre seus pacientes para pessoas que não trabalham na instituição. Os dados fornecidos ao hospital são mantidos em sigilo.