Civil e Militar fazem operação conjunta em Monlevade

Os trabalhos foram coordenados pela delegada Camila Alves Batista e pelo capitão Felipe Gaigher.

Uma megaoperação conjunta entre a Polícia Civil e a Polícia Militar foi realizada em João Monlevade onde foram apreendidas munições e drogas. A ação ocorreu na manhã de quinta-feira (8).Os trabalhos foram coordenados pela delegada Camila Alves Batista, da Delegacia de Polícia Civil e pelo capitão Felipe Gaigher, subcomandante da 17a Companhia Independente da Polícia Militar.

João Monlevade/MG – Foram cumpridos seis mandados de busca e prisão e um de apreensão contra um menor infrator, expedidos pela Justiça local, em vários pontos da cidade. Nenhum dos autores foi localizado pela polícia.

Durante a operação um homem foi preso em flagrante no Bairro Tanquinho pelo crime de tráfico de drogas. Ele não estava relacionado nos mandados que estavam sendo cumpridos, porém na casa dele foi apreendida uma barra de maconha pesando cerca de 1 kg, 65 pinos de cocaína, 12 gramas de cocaína bruta, duas balanças de precisão usada para pesar drogas, três munições calibre 32, quatro calibre 38, três munições calibre 28, algumas cápsulas de arma de fogo deflagradas, um punhal e cartões bancários.

Na parte da tarde os coordenadores da operação convocaram uma coletiva com a imprensa para dar os detalhes e apresentarem um balanço sobre os trabalhos realizados.

Segundo Camila Alves, durante o mês de janeiro foram registrados alguns crimes graves na cidade dentre eles um latrocínio (roubo seguido de morte), um homicídio, dois roubos e uma tentativa de feminicidio (homicídio tentado contra mulher). “Diante disso nós – PC e PM – atuamos em conjunto durante todo o mês de janeiro no intuito de apurar esses crimes e agora, no final do mês, nós conseguimos concluir as investigações. Fizemos a representação deles junto ao Ministério Público e os mandados foram deferidos, e hoje terminamos de cumprir esses mandatos referentes aos crimes principais do mês de janeiro”, pontuou a delegada.  Ela disse ainda que, agora, os mandados serão lançados no sistema de informação da polícia e os autores passam a ser considerados foragidos da Justiça e procurados pela polícia. “Como eles não foram localizados durante a operação de hoje, os mandados estão em aberto e nós vamos continuar em diligência para conseguir prender esses indivíduos”, concluiu.

Capitão Felipe disse que foi constatado que esses autores praticaram diversos outros crimes na cidade, principalmente roubos. “Desses mandados cumpridos hoje, havia um de busca e apreensão contra o menor infrator que está em processo de internação. Assim que ele for localizado, será encaminhado para uma unidade de Ressocialização de menores infratores no Estado”, disse o oficial.

De acordo com os coordenadores participaram da megaoperação 25 policiais militares, 26 policiais civis, sete viaturas da PM e sete da PC, sendo que dessas, duas da Civil vieram da cidade de Ipatinga e outra de Itabira, para dar apoio aos trabalhos. “É bom ressaltar que contamos também com um grande apoio do Ministério Público e do Poder Judiciário. Os órgãos de segurança pública estão unidos em prol da sociedade. Fizemos uma reunião já há alguns meses, e chegamos à conclusão que sem uma atuação em conjunto, nós não conseguiríamos atingir o objetivo que é proteger a sociedade. A Polícia Civil tem suas dificuldades, a PM também, mas quando nos unimos tudo fica mais fácil”, disse a delegada. “Como fruto dessa aproximação destacamos a redução nos índices de criminalidade, onde no mês de janeiro de 2017 foram registrados 67 crimes violentos e no mesmo período deste ano foram 28 casos”, completou Felipe Gaigher.

Camila Alves disse ainda que somente nesta semana foram realizadas três operações em conjunto com a Polícia Militar e que operações desta natureza vão continuar acontecendo.

Os materiais aprendidos e o homem preso pelo crime de tráfico de drogas foram levados para a Delegacia de Polícia Civil.

Fonte: Bell Silva/O Popular