Diretor do HNSD pleiteia verba para hemodiálise

No encontro com o ministro da Saúde, Alexandre Coelho pleiteia verba para expansão da hemodiálise em Itabira.

O diretor executivo do Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD), Alexandre José da Silva Coelho, se reuniu com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, no último dia 7 em Brasília e falou da necessidade de construção de um novo Centro de Hemodiálise para expandir o tratamento em Itabira e região. O encontro foi intermediado pelo deputado federal Mauro Lopes (MDB).

Itabira/MG – A construção de um novo Centro de Hemodiálise poderá abrigar mais 70 máquinas, o que trará mais conforto aos pacientes durante o tratamento e, também, expandir o número de atendimentos em toda região. De acordo com Alexandre Coelho, o recurso pleiteado junto ao Ministério da Saúde (MS) é de R$ 4,2 milhões.

“Apresentamos ao ministro a necessidade de construção de um novo Centro de Hemodiálise para expandir o tratamento da especialidade que encontra com sua capacidade de atendimento no máximo. O encontro foi bastante proveitoso, o ministro, juntamente com o deputado, mostraram-se bastante sensibilizados e empenhados em conseguir liberar o recurso para a nova edificação”, disse o diretor executivo.

O prazo para o recurso ser liberado não foi confirmado pelo ministro, mas de acordo com Alexandre Coelho, novos contatos serão feitos com o Governo Federal para que o serviço seja ampliado no município. O HNSD já conta com o terreno para a construção de um novo prédio e pleiteia esta verba desde 2016. A expectativa é de que o setor amplie os seus serviços em 100% com o número de máquinas que serão adquiridas.

“Estamos nos empenhando desde 2016 para alcançar esta verba e ampliar o serviço de Hemodiálise em nosso município. Atualmente 210 pacientes são atendidos mensalmente em 2.557 sessões. Por isso, uma das principais metas da nossa administração é tirar este projeto do papel e melhorar a saúde em nossa região. Vamos continuar conversando com representantes do Governo  Federal] na tentativa de trazer esta verba”, disse Alexandre Coelho.