Prefeito apresenta novo sistema de abastecimento de água

“Com esta obra pronta, temos condição de amenizar o problema da água. Acreditamos que vamos resolver isso por um período de até cinco anos”, avaliou o prefeito.

Acom/PMI

Depois de inaugurar, no domingo (8), a nova Estação de Tratamento de Água (ETA), em Senhora do Carmo, o prefeito Ronaldo Magalhães convocou a imprensa, nesta terça-feira (10), em seu gabinete, para apresentar o andamento das outras obras referentes ao abastecimento de água municipal. Participaram da coletiva, a vice-prefeita Dalma Barcelos, o diretor-presidente do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) Itabira, Leonardo Ferreira Lopes, os secretários municipais Ronaldo Pires Lott (Obras, Transportes e Trânsito), Ilton Magalhães (Governo), Fernando Muniz (Auditoria e Controladoria), o assessor Celso Matosinho da Silva (Gestão, Programas e Metas) e o vereador Solimar José da Silva, representante do Grupo da Água.

Itabira/MG – A obra de ampliação da ETA Gatos – 66% concluída – começou pela captação de água na barragem Santana e, depois de concluída, irá injetar mais 100 litros por segundo (l/s) no abastecimento de água tratada no município. De acordo com o secretário Ronaldo Lott, a finalização da obra depende da instalação de peças, conexões e da rede elétrica, “que será feita pela Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) nos próximos meses”, explicou. Ainda segundo ele, se as instalações forem feitas antes da parte elétrica, “corremos o risco de furtos. Lá é uma área isolada. Então, esperamos fazer em conjunto. No mais, já resolvemos as principais pendências de indenização, tudo está resolvido”, frisou o secretário de Obras.

Também em construção, segundo informou Ronaldo Lott, a Unidade de Tratamento de Resíduos (UTR) está 95% concluída. “Conforme legislação, toda ETA tem que ter essa estrutura. Então, o conjunto da nova ETA inclui também a UTR que vai tratar os resíduos da ETA antiga e da nova”. No entanto, no que compreende a estrutura da ETA Gatos – reforma da ETA antiga, mais a UTR e a nova tubulação – “concluímos 52% das obras”, ressaltou o secretário. Sobre a tubulação, Ronaldo Lott explicou ainda, que já existe uma que atende a ETA Gatos, “mas, estamos fazendo uma nova tubulação para levar essa água (100 l/s)”.

Durante a coletiva foi apresentado um vídeo e o secretário de Obras mostrou que a nova tubulação passou pelo bairro Pedreira e está parada onde começa o trecho de responsabilidade do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER/MG). Segundo Ronaldo Lott, o projeto apresentado e analisado pelo DEER, passa por alterações. “De sete a dez dias eles nos darão essa autorização para fazer a travessia para o lado esquerda até chegar na área da Vale”. A tubulação também no lado esquerdo, de acordo com o secretário, será colocada junto com um projeto de iluminação pública, além de uma calçada. “Temos a expectativa de iluminar da Vale até o Pedreira, fazendo um passeio ali. Isso está alinhado com o DEER. Fizemos o projeto da ETA pensando nisso para o futuro”.

Sistema integrado
A construção do reservatório de água no bairro Alto dos Pinheiros – com capacidade para 2,6 milhões de litros – já concluiu a parte externa do empreendimento. O novo reservatório, que passa pelo processo de impermeabilização interna, será abastecido com a água tratada da ETA Gatos e, segundo Ronaldo Magalhães, vai resolver grande parte o problema da água, principalmente para a população dos bairros Campestre, Bela Vista, Nova Vista, Eldorado e São Francisco, que contará com abastecimento normal mesmo no período de estiagem. “Com esta obra pronta, temos condição de amenizar o problema da água. Acreditamos que vamos resolver isso por um período de até cinco anos”, avaliou o prefeito.

Ainda segundo Ronaldo Magalhães, a Prefeitura busca alternativas e projetos para angariar recursos para a construção do anel hidráulico. “Que é a ligação desse novo reservatório com o reservatório do Areão, que já é interligado ao Juca Batista. Esse anel vai passar pela 105 (estrada), para interligarmos todo o sistema de água de Itabira”, analisou. De acordo com ele, “não há comunicação entre esses dois lados da cidade.

Então, se falta em um, não tem jeito de transferir ou inverter o processo de abastecimento”. Para uma solução definitiva, segundo Ronaldo Lott, é necessário executar o projeto do rio Tanque. “São recursos elevados que o governo ainda está analisando. Quando tivermos todo esse sistema, que está sendo feito agora, com essa reservação grande, com o anel hidráulico e com a captação do rio Tanque poderemos dizer que Itabira tem um sistema integrado de água. Hoje não temos”, concluiu o secretário.

O prefeito afirmou que os estudos para a captação no rio Tanque estão avançados. “É uma outra obra que vamos começar a trabalhar agora. O projeto deve ser feito por meio de uma parceria público-privada, mas ainda não temos isso fechado. Vamos caminhar com isso para iniciarmos essa obra em um futuro breve”.

Em tempo
O estudo para executar o anel hidráulico, que compreende a construção de seis quilômetros de rede para interligar os sistemas Gatos e Pureza, tem um custo estimado de R$ 4 milhões. Já o projeto para a Estação de Tratamento de Água (ETA) do rio Tanque custaria, segundo os estudos, aproximadamente R$ 80 milhões. A possibilidade, de acordo com o Saae, é uma Parceria Público Privada (PPP) para realizar esses empreendimentos.