Líder do Governo rebate oposição e diz que está ‘enjoado da politica itabirana’

A declaração feita por Carlos Henrique Silva Filho “Carlin” incomodou os colegas vereadores

A constante retirada de pauta de projetos do Governo na Câmara Municipal por meio de pedidos de vista, acabou gerando uma polêmica entre os vereadores esta semana. Irritado com a postura dos opositores, o líder do Governo na Câmara, vereador Carlos Henrique Silva Filho “Carlin” (Podemos) concedeu entrevista à imprensa na semana passada e disse que a maioria dos pedidos de vista tinham o intuito de atrasar a votação dos projetos do prefeito Ronaldo Magalhães (PTB) e que os opositores estavam adotando estratégias “politicas”, ao retirarem os projetos da ordem do dia.

Itabira/MG – A declaração feita pelo líder do governo incomodou os vereadores. Após matéria publicada no jornal Diário de Itabira, na qual o Carlin Filho critica a postura dos vereadores de oposição, um novo embate surgiu na reunião ordinária desta terça-feira (15). O líder do Governo ouviu críticas dos colegas, que repudiaram o seu posicionamento e defenderam que é uma prerrogativa dos vereadores o pedido de vista.

Subindo o tom em seu pronunciamento, o líder do Governo não abaixou a cabeça e mais uma vez discursou contra os opositores. “O jogo é esse: não resolver os problemas para manter o discurso contra o Governo. Eu estou enjoado com a política de Itabira”, disparou o vereador.

Após ouvir o desabafo de Carlin Filho, o vereador Weverton Andrade “Vetão” (PSB), que já havia criticado a postura do líder do Governo, pediu a palavra novamente e completou seus ataques. “A cidade inteira está assim vereador, enjoada com a política que está sendo feita”, disse ele.

Carlin Filho ouviu também as reclamações do vereador Agnaldo Vieira Gomes “Enfermeiro” (PRTB). “É dever dos vereadores apreciar com mais rigor as matérias de cunho financeiro”, disse ele ao defender os pedidos de vista.

Paulo Soares de Souza (PRB) também repudiou as críticas do líder do Governo. “Eu faço parte da situação, não sou oposicionista, mas defendo a retirada dos projetos quando houver dúvidas, é um direito do vereador fazer isso”, disse ele.