Prêmio Mérito Lojista está de volta

“Nós não vendemos troféus”, diz presidente da CDL ao anunciar volta do Mérito Lojista.

Crédito: Assessoria CDL

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Itabira, Maurício Henrique Martins, anunciou a volta do Mérito Lojista, evento promovido pela instituição que escolhe a melhor empresa em diversos ramos da economia, por meio de votação popular. Depois de dois anos sem realizar o evento, a CDL resolveu resgatar a premiação em comemoração aos seus 50 anos de fundação em Itabira.

Itabira/MG – A festa de premiação ocorre no dia 21 de setembro, no centro de eventos do Colégio Nossa Senhora das Dores (CNSD), no entanto, uma pesquisa de opinião já está sendo feita com os consumidores itabiranos, que escolherão as três melhores em cada um dos 60 segmentos. Após a fase de pesquisa uma votação será realizada nos principais centros comerciais da cidade, além do voto online, uma novidade nesta edição.

“Reconhece vários eventos que acontecem na cidade que homenageiam as empresas, mas a CDL tem um critério muito diferente, são os próprios consumidores, o próprio cidadão que faz a escolha da empresa que ele sente que é a melhor em cada um dos segmentos. Após a apuração das urnas, que circulara os bairros da cidade, teremos as empresas vencedoras do Mérito Lojista em 2018, de uma forma legitima”, disse o representante dos lojistas.

O presidente da CDL fez questão de explicar que a empresa vencedora não é obrigada a pagar para receber o troféu, como ocorre, segundo ele, em outros eventos. A cobrança será feita somente se o empresário decidir adquirir uma mesa para os seus convidados, para participarem do baile. A entrega do prêmio, ressaltou, será realizada sem nenhum custo ao escolhido.

“O mérito Lojista não vende troféu, não é aquele tipo de evento que você paga para ser homenageado, nós fazemos a seleção, a votação e a partir da apuração a empresa é convidada a receber gratuitamente este troféu, participando gratuitamente de toda festividade. Cabe a empresa, que queira levar seus amigos, parentes e seus colaboradores, aí sim, se quiser adquirir uma mesa, será vendida, mas para o homenageado não”, explicou Maurício Martins.