Transporte Público: Desembarque noturno de mulheres é aprovado

O projeto basicamente determina que os ônibus deverão parar para o desembarque de mulheres nos locais indicados por elas, ainda que seja fora do ponto de ônibus, desde que respeite o itinerário original da linha.

A Câmara Municipal aprovou em primeiro turno por unanimidade na tarde desta terça-feira (19) o Projeto de Lei 43/2018 que permite o desembarque de mulheres no transporte coletivo fora das paradas obrigatórias a partir das 22h. O projeto é de autoria do vereador Leandro Pascoal (PRB) e foi aprovado diante de muitos elogios dos seus colegas.

Itabira/MG – “Quero pedir o apoio dos vereadores, apresentei este projeto simples pensando em todas as mulheres, em minha esposa, em minha mãe e todas as mulheres da cidade”, disse o autor da matéria ao abrir a discussão no plenário.

O projeto basicamente determina que os ônibus deverão parar para o desembarque de mulheres nos locais indicados por elas, ainda que seja fora do ponto de ônibus, desde que respeite o itinerário original da linha.

Visando a segurança e a manutenção da integridade física das itabiranas que usam o transporte público, o projeto foi bem aceito entre os vereadores.

“Lembrando que não terá um grande impacto a empresa, uma vez que será após as 22h, a cidade está muito perigosa e isso será importante para o município”, disse o vereador Weverton Júlio de Freitas Limões (PMN).

Aproveitando o teor da matéria, o vereador Weverton Andrade “Vetão” (PSB) fez duras criticas à Transporte Cisne, detentora do serviço de transporte público no município. Segundo ele, o valor da passagem no município também justifica a intenção do projeto.

“O valor que pagamos aqui, a Cisne deveria está levando as pessoas na porta de suas casas. A logística é uma péssima prestação do serviço em nossa cidade, isso é vergonhoso. Agora, quero parabenizar a preposição, precisamos discutir mais a segurança pública mesmo”, disse Vetão.

Mudança- O vereador Allain Gomes de Figueiredo (PDT) sugeriu uma mudança no projeto. Segundo ele deveria ser acrescentado o mesmo benefício à crianças até 12 anos. Caso a alteração seja incluída no projeto, a votação da emenda ocorre na próxima reunião, na terça-feira que vem.