Público baixo durante aprovação da receita do Município/2019

Uma média de 15 pessoas tem comparecido nas reuniões

Com um público novamente muito baixo, as reuniões da Câmara Municipal de Itabira tem desanimado até mesmo os mais assíduos frequentadores das reuniões. Alguns costumam chegar, observar o clima ou o que está para ser discutido, e, acabam indo embora.

Itabira/MG – Uma média de 15 pessoas, tirando os membros da imprensa itabirana (cerca de cinco) tem comparecido nas reuniões da Câmara Municipal. Alguns populares chegam até a dormir sentados nas poltronas, e às vezes não perdem muita coisa, pois afinal, as discussões já não ocorrem afinco como antigamente.

Na reunião de comissão da semana passada nem o presidente da câmara marcou presença. Foram apenas dois vereadores que compareceram para avaliar a pauta, assim, os trabalhos foram encerrados por falta de quorum.

Nesta terça-feira (17), os trabalhos ficaram da seguinte forma, onde a LDO prevê arrecadação de R$ 588 milhões no ano que vem e é uma prévia da Lei Orçamentária Anual (LOA).

Em única discussão e votação, a Câmara Municipal de Itabira aprovou, na reunião desta terça-feira, 17 de julho, o Projeto de Lei 41/2018, que estabelece as Diretrizes Orçamentárias para 2019. A LDO, de autoria do Executivo, estima receita de R$ 588 milhões para o ano que vem e é uma prévia da Lei Orçamentária Anual (LOA).

Segundo o líder do Governo na Câmara, vereador Carlos Henrique Silva Filho, Carlin (Pode), a expectativa para 2019 é mais otimista. “Conseguimos, no meio deste ano, equilibrar as contas da Prefeitura e torcemos muito para que os projetos aconteçam em nossa cidade. Precisamos nos unir e trabalhar para que os anseios da população sejam supridos, principalmente para as pessoas mais necessitadas”, afirmou.

Alterações

O Plenário aprovou ainda um projeto de resolução que extingue o cargo de Coordenador de Patrimônio e restringe o recrutamento para Controlador Interno da Câmara, que passará a ser preenchido por servidor de carreira.

Segundo turno

Em segundo turno, cinco projetos de lei e de resolução voltaram à pauta – todos aprovados pelos vereadores. Os destaques são o Projeto de Lei 58/2018, do vereador Ronaldo Meireles de Sena, Capoeira (PV), que institui em Itabira a Farmácia Solidária; e o Projeto de Lei 61/2018, que restringe o recrutamento para o cargo de Coordenador de Controle Interno no Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae).

Com informações de Sergio Santiago/CMI

Em tempo: Com apenas dois vereadores, reunião é cancelada na Câmara