Covardia: Engenheiro foi morto com tiro na cabeça

Vítima foi morta após anunciar venda do veículo numa rede social

Em menos de 24 horas os Policiais Militares de Barão de Cocais desvendaram um crime de latrocínio contra o engenheiro itabirano Reginaldo Gomes Vilarino de 32 anos e prenderam dois suspeitos.

Barão de Cocais/MG – A vítima – que apenas queria vender o carro – foi executada com um tiro na cabeça numa tocaia. Ele virou alvo fácil após colocar anúncio de venda do veiculo na rede social. A vítima itabirana foi brutalmente executada por um suspeito que se apresentou como comprador do veiculo. o mentor do crime estava acompanhado de comparsas quando encontrou com a vítima na região do Campo Alegre, zona rural de Bom Jesus do Amparo. Ainda neste local, na quinta-feira, dia 9 de agosto, Reginaldo foi morto com um tiro na cabeça.

O carro somente foi localizado depois de se envolver em uma colisão na rodovia, após o motorista abandonar o veículo e montar na garupa de uma moto. O corpo só foi encontrado na manhã de sexta-feira (10) na lagoa do Peti, zona rural de São Gonçalo do Rio Abaixo.

O caso – Por volta de 22h de quinta-feira (9) a Sala de Operações da 57ª Companhia de Polícia Militar recebeu denúncia anônima relatando que na rodovia MG- 436, próximo ao trevo de acesso ao Distrito de Cocais, um veiculo VW Fox, de cor branca, placa de Itabira, teria colidido contra uma carreta; sendo que o motorista abandonou o carro montou numa motocicleta e fugiu em alta velocidade sentido Barão de Cocais. Os Militares, chegando ao local, verificaram que no porta malas tinha manchas de sangue.

Os PMs entraram em contato telefônico com a família e a esposa do dono do carro, onde perguntaram sobre o marido dela para verificar a informação sobre o carro. A mulher começou a chorar, dizendo que o marido teria saído à tarde para vender o veículo para um rapaz em Cocais.

Diante disto os policiais passaram a buscar por informações e pessoas que pudessem ajudar a localizar o suspeito, onde acabaram encontrando um endereço do suposto comprador de 20 anos. Em sua casa, ao receber os Militares, ele estava muito assustado e com arranhões pelo corpo. Em buscas feitas no interior da casa foi encontrado num quarto o recibo, já com firma reconhecida em cartório, da venda do veiculo envolvido no acidente. O suspeito disse aos policiais que o próprio Reginaldo Vilarino era quem teria saído no carro e acidentado, fato que levou suspeita ao PMs.

Os militares desconfiaram da versão do rapaz, pois, como um comprador poderia deixar o vendedor ir embora no carro após comprá-lo. Outro detalhe, o que uma moto fazia seguindo o veiculo no deslocamento para Itabira. E porque o ex-proprietário fugiria, abandonando o carro no meio da pista no local do acidente.

Aos militares o suspeito contou que entrou em contato com a vítima dias atrás e passou a negociar o carro com o mesmo que teria oferecido R$ 30.000,00 reais à vista pelo veiculo; que na semana passada teria feito contato pessoal com a vítima que o mostrou o veiculo da negociação; que após preencheu o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) e reconhecer firma em um cartório foi para Barão de Cocais onde se encontraram.

Em conversa com os PMs o rapaz relatou ainda que foi visto por um amigo de 22 anos, também suspeito no crime, que é ex-detento, que o perguntou se havia comprado o carro. Ele disse que sim e que pagaria em dinheiro (a vista) ao dono. Nesse momento o comparsa o ameaçou dizendo que queria aquele dinheiro, então, eles combinaram o horário do pagamento e o local onde a vitima passaria.

Diante das versões os militares foram à residência do segundo suspeito que, apesar de negar o envolvimento no crime, acabou preso. Ele assumiu ter participado da trama, mas não quis dar mais detalhes sobre o caso. Em sua casa os militares apreenderam duas espingardas de grosso calibre-28. Uma destas armas possivelmente teria sido usada para executar o engenheiro.

Segundo o Capitão Ednilson, comandante do Policiamento de Barão de Cocais, depois de realizarem diversas diligencias por volta de 10h30 na manhã de sexta (10), o principal suspeito acabou os levando até a localidade onde o corpo teria sido desovado; uma área de reserva natural na localidade do Peti, na zona rural de São Gonçalo do Rio Abaixo, onde o corpo teria sido jogado de cima de uma pequena ponte numa estrada de terra.

A perícia técnica da Polícia Civil, juntamente aos investigadores, compareceram no local do crime onde realizaram os trabalhos técnicos criminais. Após retirar o corpo do local constatou-se que a vitima apresentava ferimentos na região da cabeça. Após o termino do serviço o corpo foi liberado para ser removido para o Instituto Médico Legal (IML), do Cemitério da Paz, em Itabira.

Ainda durante os levantamentos sobre o caso, já por volta de 17h40, os militares conseguiram verificar com os suspeitos e eles retornaram ao Distrito de Cocais onde nos fundos da residência do suspeito encontraram a mochila com o notebook e a carteira com documentos do engenheiro.

A Polícia Civil, que também já estava envolvida no caso, aguarda mais informações para identificar um terceiro suspeito envolvido no crime. O caso já esta sendo investigado.

Em Tempo – O sepultamento será às 16 horas deste sábado (11) no Cemitério da Paz, em Itabira.