Coletores da Itaurb são vítimas de acidentes após descarte incorreto

São frequentes os acidentes com cacos de vidro, enlatados, seringas, entre outros.

Acom PMI/divulgação

A Prefeitura, por meio da Empresa de Desenvolvimento de Itabira (Itaurb), informa um dado preocupante: são frequentes os acidentes envolvendo trabalhadores da coleta de lixo por conta dos cacos de vidro, lâmpadas, enlatados, lâminas, seringas e outros objetos pontiagudos e cortantes descartados de forma incorreta no lixo doméstico.

Itabira/MG – Entre janeiro deste ano e a semana passada, nove acidentes de trabalho foram provocados pelos itens citados. Em 2017, no decorrer de todo o ano, a autarquia registrou 11 ocorrências do tipo. Aliás, os cortes sofridos por coletores figuram a maioria dos acidentes no dia a dia de serviço. Os números são da seção de Segurança do Trabalho da Itaurb.

Mesmo utilizando luvas de segurança anticortes, os coletores correm o risco de se machucar. É o que houve por várias vezes com Samuel Félix dos Santos, 27, há três anos atuando na coleta do lixo. “Já me machuquei com enlatados, palitos de churrasquinho, lâmina de barbear, lâmpadas e vidros quebrados. A gente sempre procura ter um cuidado ao recolher o lixo, mas não sabemos o que vamos encontrar”, lamenta.

Afastamento
Além da vida do trabalhador ser colocada em risco, os acidentes causam impacto direto na rotina da Itaurb, sendo que é difícil repor os profissionais. No decorrer deste ano, segundo a empresa, os acidentes provocaram afastamento de servidores entre três e 60 dias, conforme a gravidade do caso.

Mesmo com todos os equipamentos de segurança, a coletora Solange Costa, 34, foi vítima de um corte na panturrilha. Ela conta que recolhia sacolas de lixo para levar ao caminhão, mas, um dos sacos continha vidro quebrado e perfurou sua perna. “Todos os dias eu peço a Deus para abençoar minha jornada de trabalho”, narrou ela, preocupada.

Além dos cacos de vidros, as seringas são outros itens muito encontrados nos lixos deixados por moradores. E nesses episódios a Itaurb alerta que os riscos de contaminação são ainda maiores para o coletor.

Separe o lixo
O servidor Adão Aparecido Santos, 52, orienta que primeiro é preciso separar o lixo orgânico (restos de comida) do reciclável (metais, papel, papelão, tetrapak, diferentes tipos de plásticos e vidro).

Cabe ressaltar que Itabira tem coleta orgânica, seletiva e de apoio, separada por dias diferentes em cada bairro. Para saber em qual dia passa o caminhão de cada coleta, basta consultar a programação no site www.itaurb.com.br.

Como descartar?
No caso de vidros, quebrados ou não, o ideal é acondicionar o material dentro de caixas de leite, de calçados ou garrafas pet, por exemplo.

Adão ensina que uma opção é cortar a garrafa pet para pôr o vidro dentro, fechar e vedar com fita adesiva – o mesmo pode ser feito em caixinhas de leite. Metais cortantes também seguem a regra.  Dentro de caixas de papelão é importante envolver os itens em folhas de jornal ou revista e também vedar as embalagens.

“Contamos com o apoio da comunidade para que esses acidentes não aconteçam e todos nós possamos trabalhar com segurança”, ressalta Adão Aparecido.

Seringas
As seringas, ampolas e embalagens de remédio têm locais específicos para serem deixados. A Prefeitura de Itabira recolhe esses materiais na Farmácia Municipal (Vila Santa Izabel/antigo endereço do TFD); Farmácia de Minas (Fênix) e farmácias das Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos bairros Chapada, Gabiroba de Baixo, Clóvis Alvim, Pedreira e dos distritos de Senhora do Carmo e Ipoema.

Para outras informações, a Itaurb pode ser contatada nos telefones (31) 3833-4000 e 3833-4010.