Locomotiva atinge homem na Ferrovia Vitória/Minas

Os socorristas fizeram os primeiros atendimentos e imobilização e em seguida removeu a vítima até o Pronto Socorro Municipal para receber atendimento médico.

Um homem acabou sendo atropelado por uma locomotiva da Mineradora Vale na linha Férrea Vitória/Minas em Itabira; mesma malha ferroviária onde está sendo discutida a prorrogação de concessão.

Itabira/MG – O acidente aconteceu na manhã desta sexta-feira 14, de setembro de 2018. A vítima foi identificada como José Roberto Martins, de 39 anos. Ele sofreu sofreu ferimentos após ser atropelado por uma das composições da locomotiva da mineradora Vale que passava pela região do bairro São Bento.

Uma equipe do SAMU foi acionada por volta das 10 horas para atender a uma informação inicial de queda de pessoa às margens da linha férrea. Ao chegar no local foi verificado que se tratava de uma vitima de atropelamento, que apresentava um corte na cabeça, sangramento intenso e se queixando de dores na região lombar e no tórax.

A vitima relatou transitar por sobre a linha – área que é totalmente aberta, onde várias crianças e adultos transitam em toda sua extensão sem limites, com pouca sinalização indicativa de perigo e que não percebeu a aproximação da locomotiva. No local o maquinista, por sua vez, teria dito que ao perceber uma pessoa na linha férrea teria acionado a buzina.

A vitima teria tentado correr e sair dos trilhos, porém acabou sendo atingido pela locomotiva e arremessada em meio às pedras existentes na lateral da linha férrea.

Os socorristas fizeram os primeiros atendimentos e imobilização e em seguida removeu a vítima até o Pronto Socorro Municipal para receber atendimento médico.

Em tempo

Presidente eleito no Sindicato Metabase de Itabira, André Viana participou da Audiência Pública da ferrovia Vitória/Minas, o assunto era sobre a prorrogação da concessão de uso da ferrovia pela Vale.

Durante as discussões, André deixou claro que investimentos devem ser feitos nesta malha em Itabira onde a população convive com locomotivas passando literalmente na porta de casa. O risco é constante. A remoção de alguns trilhos é solicitada a vários anos.