Mulher é morta a facada e enterrada em Carmésia

O crime foi identificado na manhã desta quarta-feira, 12.

A Policia Militar foi acionada para registrar o encontro de um cadáver tendo como vitima Andreia Kênia Valadares, 33 anos, que foi morta a facada e enterrada numa área de fazenda na zona rural de Carmésia.

Carmésia/MG – O crime foi identificado na manhã de quarta-feira, 12 de setembro de 2018. O corpo estava jogado dentro de uma canaleta e encoberto por terra nas proximidades da Fazenda Axupé, na zona rural de Carmésia. De acordo com familiares a mulher estava desaparecida desde quarta-feira (5), quando foi vista pela última vez pelo irmão.

Na segunda-feira (10) o irmão da mulher procurou a polícia para o registro da ocorrência de desaparecimento, tendo em vista que sua irmã ainda não teria retornado para casa. Diante do sumiço, o irmão e outros parentes passaram a procurar pela vítima.

Nesta quarta, após sentir um forte cheiro vindo das proximidades da referida fazenda, nas instalações de um antigo asilo, o irmão da vítima foi até ao local, deparou com alguns vestígios de sangue e com algo jogado dentro de uma canaleta de escoamento de água pluvial, encoberto por terra.

Os Militares foram comunicados do fato e isolaram a área para os trabalhos da perícia técnica da Polícia Civil de Itabira. Na chegada do perito criminal foi constatado que realmente se tratava de um corpo já em avançado estado de decomposição. A mulher foi reconhecida pelo irmão através das roupas e de uma tatuagem. No local foram encontradas duas facas e alguns pertences da vítima, que foram apreendidos.

No corpo da vítima havia ferimentos possivelmente causados por facadas. Após os trabalhos periciais o corpo foi encaminhado para o Posto Médico Legal (PML), no Cemitério da Paz, em Itabira, para ser examinado por um médico legista da Polícia Civil que vai instaurar um inquérito para investigar o homicídio.

Os militares de Carmésia estão fazendo levantamento de informações para tentar identificar o autor do crime e aguardam para que as pessoas possam fazer denuncia anônima através do Disque Denúncia Unificado (DDU) 181.

Fonte: Tales Benicio