Ministério da Fazenda é contra adiantar renovação de ferrovias da Vale

Segundo o relatório, a melhor opção é relicitar as ferrovias quando vencer as concessões, em 2026 e 2027.

O Ministério da Fazenda, por meio da Secretaria de Promoção e Defesa da Concorrência (Seprac) emitiu parecer contrário às renovações antecipadas das concessões de duas ferrovias controladas atualmente pela Vale: a Estrada de Ferro Vitória Minas e a de Carajás. Segundo o relatório, a melhor opção é relicitar as ferrovias quando vencer as concessões, em 2026 e 2027. O tema tem sido motivo de muitas polêmicas, principalmente nas audiências públicas promovidas para debater o tema.

O presidente do Sindicato Metabase de Itabira e Região, André Viana Madeira, entrou na luta para colocar Itabira no centro desta discussão. Segundo reclamou o sindicalista, que também é vereador, o “município não pode ficar de fora deste debate”. Em redes sociais, André Viana comemorou nesta segunda-feira (5) a decisão do Ministério da Fazenda.

“Atendendo Solicitação do Vereador André Viana o Ministério da Fazenda deu pareceres contrários a antecipação da concessão da ferrovia Vitória-Minas! Mais um importante passo para incluir Itabira na Rota Da Discussão que ela tem direito de ser pioneira”, afirmou o vereador em mensagens encaminhadas via WhatsApp.

A renovação antecipada, está sendo discutida pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e pela Vale. Caso fosse assinada, esta antecipação garantiria a mineradora mais 30 anos de concessão. O que impediu a renovação, segundo o relatório assinado pelo secretário Ângelo Duarte, a Seprac entende que o volume de investimentos previstos com a renovação não justifica a antecipação da concessão e favorece a Vale.

Matérias relacionadas

“ANTT perde a primeira”, diz André Viana

Audiência ANTT: decepcionado, André Viana desabafa durante discurso

André Viana e comitiva na reunião da ANTT em Brasília

André participou da Audiência Pública da ferrovia Vitória/Minas