Policia Civil faz reconstituição do crime de mulher morta a facadas

Crime aconteceu em Carmésia, Minas Gerais.

Um grande aparato da Polícia Civil com o apoio da Polícia Militar e Agentes Penitenciários foi montado para a reconstituição da morte a facadas de uma dona de casa na cidade de Carmésia.

No dia 12 de setembro o corpo da dona de casa Andreia Kênia Valadares, 33 anos, foi encontrado enterrado dentro de uma vala nos fundos de um asilo na zona rural de Carmésia.

Mulher é morta a facada e enterrada em Carmésia
Homem é detido ao liberar corpo de mulher morta

 

Diante da prisão de um homem suspeito no hospital de Guanhães, que acusava o marido da vitima como sendo o mandante, os investigadores da Policia Civil passaram a fazer os levantamentos e em depoimento prestados ao Escrivão Eloísio Duarte Gomes e o Delegado Diogo Luna, o suspeito acabou assumindo ter um caso amoroso e por isso matou a facadas a mulher, e inocentou o marido da vitima dizendo que ele nada tinha a ver com a morte.

Ainda na Delegacia o autor disse que a morte aconteceu porque a mulher não queria mais manter a traição e que iria revelar tudo para a esposa do acusado. Como ambos tinham ingerido bebida alcoólica acabou acontecendo uma discussão e a vitima teria dado um tapa no rosto do amante que pegou uma faca e desferiu vários golpes contra a barriga dela. Em seguida o autor deixou o local e foi para casa.

No dia seguinte o amante retornou ao asilo abandonado, arrastou o corpo da mulher para uma área de mata aos fundos do imóvel e usando uma enxada enterrou numa valeta rasa.

 

Diante de algumas dúvidas e também os relatos de falsa acusação – anteriormente contra o esposo da vitima – o delegado decidiu juntamente com a pericia técnica realizar a reconstituição no local do crime, assim seguindo passo a passo os relatos do detento e réu confesso.

Durante a semana toda a equipe seguiu para a cidade de Ferros, e de lá para Carmésia onde foi realizada toda a reconstituição do crime contando com a colaboração do réu confesso, descrevendo até onde jogou a ferramenta (enxada) logo após enterrar o corpo da vítima.

Toda a movimentação e descrição foi registrada pelo perito.

O crime – Na quarta-feira (12/09) o corpo da vítima foi localizado por parentes aos fundos da construção do antigo asilo. Na quinta-feira (13) o suspeito de matar a mulher foi preso no hospital em Guanhães. Após tomar ciência que a policia teria descoberto o crime e que ele poderia ser preso, o homem teria tentado suicídio com uma corda.

Alívio – O marido da vítima conversou com a nossa reportagem e disse “estar mais aliviado pela policia civil desvendar o crime, e assim, ele ser inocentado das acusações que o autor teria tentado por contra ele. Que a justiça seja feita agora”, finalizou.