Programação da Semana da Consciência Negra

A agenda culmina com intervenções junto a comunidades remanescentes de quilombolas em Itabira.

Acom/PMI

Segundo projeção do Atlas da Violência 2017, de cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras. O estudo produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) sinaliza que os negros têm chances 23,5% maiores de serem mortos em relação a brasileiros de outras raças ou cores, já descontado o efeito da idade, sexo, escolaridade, estado civil e bairro de residência. A partir da próxima terça-feira (20), a Prefeitura de Itabira realiza a Semana da Consciência Negra. A programação traz à tona debates sobre inclusão, enfrentamento ao racismo e afirmação da cultura afro-brasileira.

Itabira/MG – A iniciativa é da Secretaria Municipal de Governo, por meio da Diretoria Para Promoção da Igualdade Racial (Dipir), em parceria com o conselho homônimo e a Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira (Funcesi). “A data de 20 de novembro (Dia da Consciência Negra) traz a nós um desafio. Não é para comemorarmos, mas, refletir que a cada cinco minutos morre um jovem negro no país”, cita Lena Primo, titular da Dipir.

A Semana da Consciência Negra ocorre até domingo (25), com sessões de cinema comentado, mesa redonda e palestras. A agenda culmina com intervenções junto a comunidades remanescentes de quilombolas em Itabira. É necessária inscrição prévia para participar das atividades, o que pode ser feito no link goo.gl/X4eDPD.

A programação evidencia propostas como a do projeto “Educando Itabira sem racismo”, instituído pelo Município e Funcesi em escolas locais. Crianças e adolescentes são o público-alvo de rodas de conversa, exibição de filmes e palestras sobre o impacto do preconceito e suas consequências no dia a dia. A Funcesi, inclusive, fez da ideia um projeto de extensão, orientado pelo professor Diogo Luna Moureira.

Lena Primo comentou que o projeto foi costurado a partir de desafios que ela também enfrentou. “Meu filho sofreu uma discriminação na escola e não quis mais ir à aula. Foi necessário procurarmos a ajuda de um psicólogo. Na escola, chamaram as outras crianças que fizeram o bullying, mas, eu disse aos professores: a criança não nasce racista, precisamos conversar também com os pais dessas crianças. A partir daí percebi que se essa educação por vezes não ocorre em casa, a escola precisa abraçar a causa”.

Em tempo
O Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro em todo o país, foi instituído em 2003 no calendário nacional e marca a morte de Zumbi dos Palmares, o último líder do maior quilombo do período colonial, o Quilombo dos Palmares.

Programação
Terça-feira (20/11) 

Dia Nacional da Consciência Negra

Solenidade de Abertura
Local: auditório da Funcesi, às 18h30
18h30 – Composição da mesa de honra e mensagens iniciais;

19h – Formalização da parceria entre Funcesi e Dipir no projeto Educando Itabira sem racismo;

19h30 – Palestra: Empoderamento da mulher negra. Larissa Amorim Borges – subsecretária de Políticas para Mulheres, psicóloga, mestre e doutoranda;

21h30 – Encerramento.

Quarta-feira (21/11)
9h – Educando Itabira sem Racismo: ações extensionistas decorrentes da parceria Funcesi e Dipir;

17h30 – Cinema comentado: Moonlight: sob a luz do luar. Priscila Penna – Doutora em Psicologia pela USP. Local: miniauditório da Funcesi.

Quinta-feira (22/11)
9h – Educando Itabira sem Racismo – ações extensionistas decorrentes da parceria Funcesi e Dipir;

17h30 – Cinema comentado: Amistad. Abel Camilo de Oliveira Lage Filho – Mestre em Filosofia pela UFMG. Local: miniauditório da Funcesi.

Sexta-feira (23/11)
9h – Educando Itabira sem Racismo – ações extensionistas decorrentes da parceria Funcesi e Dipir;

17h30 – Mesa redonda: Democracia, diversidade e reconhecimento. Reflexões sobre a exigência da democracia para a efetivação de liberdades fundamentais, a partir das lições de Axel Honneth sobre a ‘luta por reconhecimento’. A coordenação da mesa ficará a cargo do grupo de pesquisa “Luta por Reconhecimento: Diversidade Étnico-Racial”, coordenado pelo doutor Diogo Luna Moureira. Local: miniauditório da Funcesi.

Sábado (24/11)
8h – Ações e oficinas do programa de extensão Maré Verde, parceria da Unifei e Funcesi na Comunidade Quilombola do Capoeirão;

14h – Ações e oficinas do programa de extensão Maré Verde, parceria da Unifei e Funcesi na Comunidade Quilombola do Morro Santo Antônio.

Domingo (25/11)
8h – Dia da Beleza da Negra na comunidade do Gomes.