Diguerê quer implantar noções de direito e cidadania em grade escolar municipal

O vereador teve o projeto de sua autoria aprovado por unanimidade

O vereador Rodrigo Alexandre Assis Silva “Diguerê” (PRTB) quer implantar na base das Escolas Municipais em Itabira o tema “Direito e Cidadania”. O vereador teve o projeto de sua autoria aprovado por unanimidade durante a reunião da Câmara Municipal na tarde desta terça-feira (4) que tem como objetivo “o resgate de valores éticos e da educação para a cidadania”.

Itabira/MG – “Toda criança e adolescente precisa conhecer seus direitos e deveres de cidadão e este é um dos objetivos do ensino em todas as faixas etárias. A indicação para que as atividades relativas à cidadania e ao direito sejam incluídos no ensino municipal se deve ao fato de que, nesta faixa etária, as possibilidades de discussão e análise crítica se ampliam. Fazer parte da base diversificada das escolas municipais significa dar maior peso a uma discussão que certamente já vem sendo feita pelos professores ao longo das séries iniciais”, justificou Rodrigo Diguerê em documento anexo ao projeto.

Ainda de acordo com Diguerê, a implantação dos novos temas na grade curricular dos alunos, não trará gastos ao município, que poderá realizar convênios não onerosos com instituições municipais.

“O aluno ter incluído no seu currículo este conteúdo aumenta a sua responsabilidade nessa discussão e reforça sua cidadania. Não há nenhum gasto a mais para este projeto de lei pois, o com os conteúdos e atividades relativas à cidadania serão desenvolvidos pelos professores das várias disciplinas”, explicou.

Como a aprovação foi em primeiro turno, a matéria volta na semana que vem para nova apreciação do plenário em segunda votação.

Parabenizado

Durante a discussão do projeto, Rodrigo Diguerê foi parabenizado pela maioria dos seus colegas. De acordo com o presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal, vereador André Viana Madeira (Podemos) a matéria é de grande importância para o município.

“Muitas vezes as pessoas perdem importantes demandas por não conhecerem simples bases constitucionais, então, nada melhor que aprovar uma matéria dessa, a Comissão de Educação se alegra com o projeto e vota favorável, parabéns”, disse André Viana ao autor do projeto.