Civil prende engenheiros que prestaram serviços à Vale

Cinco engenheiros foram presos, dois em São Paulo e três em Minas Gerais.

A Polícia Civil de Minas Gerais e a Polícia Civil de São Paulo fizeram as prisões de cinco (5) engenheiros que prestaram serviços para a Mineradora Vale na barragem de Brumadinho (MG). Três engenheiros foram presos em Belo Horizonte e dois na Capital Paulista.

De acordo com as investigações, são apontados que estes profissionais teriam atestado a segurança da barragem que na última sexta-feira (25) se rompeu em Minas Gerais. A suspeita seria de fraudes nos documentos.

Antes e depois do rompimento

Na manhã desta terça-feira (29) o Ministério Público de São Paulo, juntamente com investigadores da Polícia Civil do estado fizeram cumprir dois mandados de prisão expedidos pela Justiça Estadual de Minas Gerais, que determinava a prisão dos dois engenheiros bem como o recolhimento de documentos em suas respectivas residências que possam apontar prestação do serviço para a mineradora Vale, onde atestaram a segurança da barragem 1 da Mina do Feijão, em Brumadinho.

A prisão dos dois engenheiros ocorreu nos bairros de Moema e Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo. Os detidos foram levados para a sede da Polícia Civil (SP), em seguida serão encaminhados para Minas Gerais.

Nossa reportagem verificou que as ordens da Justiça são de prisão temporária, tendo validade de 30 dias, podendo ser renovado mais 30 dias, sendo os mandados expedidos pela Justiça no domingo (27).

Os trabalhos de prisões em São Paulo foram coordenados por promotores do núcleo da capital do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP de São Paulo, e pelo Departamento de Capturas (Decade) da Polícia Civil paulista. Que seguiram a mesma linha de investigações e prisões de outros três engenheiros em Minas.

Vale

Sobre mandados cumpridos nesta manhã

Referente aos mandados cumpridos nesta manhã, a Vale informa que está colaborando plenamente com as autoridades. A Vale permanecerá contribuindo com as investigações para a apuração dos fatos, juntamente com o apoio incondicional às famílias atingidas.

Vale 29/01/2019 7h42

Documentos fraudados

Numa frente de apurações a Polícia Federal de São Paulo realiza na manhã desta terça-feira (29) o cumprimento de dois mandados de buscas e apreensões em empresas que prestaram serviços para a Vale. Os nomes das empresas ainda não foram revelados.

De acordo com os investigadores do Ministério Público e da polícia apuram os documentos técnicos das empresas contratadas se eles de alguma maneira foram fraudados ou não.

A operação vem sendo coordenado por uma força-tarefa que envolve a Polícia Federal, o Ministério Público Estadual e Federal e a Polícia Civil MG.

Mortes

Os números se matem de acordo com Defesa Civil de Minas Gerais na noite de segunda-feira (28), onde informou que 65 corpos já foram localizados, destes 35 ainda seguem sem identificação e 279 ainda estão desaparecidos.

Matérias relacionadas 

Corpo de itabirano é localizado após desastre ambiental

60 mortos e 292 desaparecidos em Brumadinho

Ronaldo vai cobrar da Vale diagnostico das Barragens em Itabira

Brumadinho: Sirenes são acionadas durante a madrugada

Sindicato dos Vigilantes cobra da Vale e autoridades urgência em Brumadinho

Brumadinho ainda tem 299 pessoas desaparecidas 

Rompimento de barragem em Brumadinho aumenta alerta em Itabira

Nota do Metabase sobre rompimento de barragem em Brumadinho

Justiça bloqueia R$ 1 bilhão da Vale

Rompimento de barragem em Brumadinho