Exército se reúne com parlamentares para tratar de ferrovias

Comandante de Batalhão Ferroviário diz que instituição pode ajudar na construção e manutenção da malha em Minas Gerais.

Crédito fotos: Luiz Santana/ALMG

Deputados da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) se reuniram nesta quarta-feira (6/2/19) com representantes do Exército Brasileiro para tratar da participação da instituição na construção e restauração de ferrovias no território mineiro. De acordo com o Coronel Helton Andrade, comandante do 2º Batalhão Ferroviário, o Exército está pronto para ajudar nesse trabalho.O Batalhão Ferroviário foi fundado, segundo o Coronel Helton, em 1938, no estado de Santa Catarina. Atualmente, está sediado em Araguari, no Triângulo Mineiro. Ainda de acordo com ele, nos seus primeiros 50 anos de existência, os membros do Batalhão construíram 300 quilômetros de ferrovias e outros 700 quilômetros foram restaurados em seis estados do país, inclusive em Minas Gerais.

Dada a predominância das rodovias no país, porém, desde a década de 1990 o grupo estaria atuando primordialmente com rodovias. Mas, de acordo com Coronel Helton, eles estão prontos para ajudar na retomada das ferrovias. Uma das dificuldades citadas por ele é a forma de pagamento dos serviços, já que são necessários gastos com equipamentos e materiais, por exemplo.

O Exército, segundo ele, é pago por esses serviços na forma de créditos da União, que funcionam, como ele explicou, como cheques que podem ser repassados a terceiros. A Emenda Constitucional Federal 95, de 2016, que ficou conhecida à época da sua votação no Congresso como PEC do Teto dos Gastos, limitou esses valores por 20 anos.

Por outro lado, estados e municípios fazem seus pagamentos em dinheiro, o que não poderia ser recebido pelo Exército e, portanto, inviabilizaria os repasses.