Promotores determinam à Vale retirar bens culturais em risco

O intuito desta medida seria visando minimizar possíveis danos culturais e ambientais

Os Promotores de Justiça determinaram que a Vale resgate e retire todos os bens culturais que estejam na área de risco de rompimento.

Nesta sexta-feira (8) a informação era que o Promotor de Justiça em Barão de Cocais, Cláudio Daniel Fonseca de Almeida, e a Promotora Giselle Ribeiro de Oliveira, coordenadora das Promotorias de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais, determinaram à Mineradora Vale que adote todas as medidas emergenciais necessárias para o resgate e retirada de todos os bens culturais móveis existentes na área de risco de rompimento da barragem Gongo Soco, em Barão de Cocais.

O intuito desta medida seria visando minimizar possíveis danos culturais e ambientais. Dentre os diversos bens culturais e na rota da lama caso a barragem se rompa, está a igreja Nossa Senhora Mãe Augusta do Socorro, construída em 1.737 e o conjunto das ruínas de Gongo Soco.

Fonte: Diário de Santa Bárbara