ALMG: Defesa da vida marca programação no Dia da Mulher

Mostras, debates e rodas de conversa vão abordar o feminicídio, que vitimou em MG uma mulher a cada três dias em 2018.

A planta sempre viva, que após colhida e seca consegue resistir ao tempo, simboliza o evento e remete à ideia de força, resiliência e capacidade de superação - Arquivo ALMG - Foto: Guilherme Bergamini

No momento em que os casos de feminicídio têm preocupado cada vez mais o País, a defesa da vida será, este ano, o grande marco da celebração do Dia Internacional da Mulher na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Com este objetivo, foi preparado, com movimentos e entidades parceiras, o evento Sempre vivas – Mulheres em Luta Contra a Violência. A programação será aberta na sexta-feira (8/3/19) com uma solenidade no Salão Nobre da Assembleia, às 9 horas.

Na sequência, às 9h30, na Galeria de Arte da ALMG, será inaugurada a exposição “Memórias de mulheres mineiras e brasileiras em busca de seus direitos”, do movimento Quem Ama não Mata.

A programação do evento se estenderá por toda a tarde, desta vez na Praça Sete (esquina da rua dos Carijós), no Centro de Belo Horizonte. Ali, a partir do meio-dia, será realizada audiência pública da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da ALMG, com a presença de diversos coletivos, entidades e órgãos públicos, que se revezarão em debates e rodas de conversas.

Haverá ainda intervenções culturais na praça, com a participação, entre outros, do grupo teatral Morro Encena e da Batucada Núcleo Universitário da Marcha Mundial de Mulheres.

Às 18 horas, após o encerramento do evento, a praça ainda receberá diversas outras manifestações previstas na Capital pelo Dia da Mulher, se tornando ponto de encontro dos movimentos para um ato unificado.

Written by Michele