Polícia investiga suposto plano de massacre no Premem

O suposto ataque poderia ocorrer na segunda-feira (22)

As Policias Civil e Militar investigam em conjunto os rumores e informações do que poderia ser um plano arquitetado por adolescentes sobre um possível massacre planejado para ocorrer no PREMEM (Escola Estadual Trajando Procópio Alvarenga Silva Monteiro), em Itabira (MG).

As informações davam conta que através do “Grupo 109”, numa rede social, estariam ocorrendo as conversas e rumores que acabaram com dois adolescentes de 14 e 15 anos detidos porque estariam arquitetando o plano de ataque na escola na próxima segunda-feira (22).

Assim que tomou ciência dos rumores a diretora da escola, Marluce Farias, acionou a Polícia Militar bem como a Polícia Civil nesta sexta-feira da Paixão (19), mesmo sendo feriado. Isso foi feito após a diretora ser procurada por vários pais de alunos da escola que viram as publicações em grupos e que o plano seria executado no dia 22 de abril.

A COPOM (Central de Operações da Policia Militar) foi contatado pela diretora sendo iniciada a verificação do endereço antigo do menor de 15 anos, que estaria envolvido no caso, chegando até o bairro Gabiroba. No referido endereço os PMs foram informados que o menor teria se mudado para o bairro Água Fresca. Ao chegarem no endereço do adolescente de 15 anos, os Militares conversaram a genitora dele, sendo o assunto repassado para a mesma. A mulher autorizou os Militares a realizarem buscas no quarto do menor e encontraram uma máscara de cor branca.

Durante a conversa o adolescente confirmou os comentários no grupo de aplicativo. Ele relatou que o criador do grupo denominado “109” foi um primo de 14 anos, que lhe enviou através de um link, colocando-o como administrador do “Grupo 109”. Por causa disso foi adicionando pessoas de outros Estados que começaram a enviar mensagens excitando o massacre na data de segunda-feira (22). Em verificação ao aparelho celular foram encontradas conversas sobre o massacre planejado.

Diante aos fatos os Militares retornaram ao bairro Gabiroba, chegando na casa do menor de 14 anos. Com autorização dos familiares eles fizeram buscas na residência e nada de ilícito foi encontrado no quarto do jovem. Em conversa com o mesmo ele contou que criou o “Grupo 109” com o intuito, a principio, de que os alunos da escola usassem para estudos.

Na quinta feira (18) ele colocou o primo como administrador do grupo e enviou o link para outras pessoas, inclusive de outros Estados, onde começaram a surgir mensagens de ameaças planejando o massacre. Ele disse ainda que essas mensagens começaram a se espalhar por Itabira, que ele chegou a ficar com medo da repercussão que isso tomaria e que estava preocupado com as consequências.

Diante aos fatos os adolescentes apresentaram seus respectivos aparelhos celulares, onde as mensagens foram recebidas e enviadas. Os Militares viram algumas mensagens, os aparelhos foram apreendidos e seriam entregues na Delegacia de Policia Civil para serem analisados.

De acordo com informações os números que enviaram as mensagens instigando para o acontecimento de um massacre podem ser identificados, seus respectivos donos e essas pessoas responderem pelo crime ao instigarem menores à pratica de crimes.

Written by Átila Lemos