Monumento em homenagem a Zumbi dos Palmares é restaurado

A cerimônia foi realizada nesta segunda-feira (13)

Acom/PMI

Para lembrar os 131 anos da abolição da escravatura, a Prefeitura de Itabira entregou à comunidade a estátua de Zumbi dos Palmares (líder do quilombo que leva seu nome e também o de maior relevância histórica) restaurada. A cerimônia, que marcou também o encerramento da Semana da Abolição da Escravatura: Educando Itabira sem Racismo, aconteceu na manhã desta segunda-feira (13) na praça Pingo D’Água – mais conhecida como praça do Bretas.

 

Dezenas de pessoas, incluindo secretários municipais, estudantes de escolas públicas e imprensa local, participaram da solenidade. Durante o evento, o público pôde conferir de perto uma das mais belas tradições do município: representação do congado pelo Grupo de Marujos Nossa Senhora do Rosário. A aluna da Escola Estadual Professora Maricas Magalhães, Thaysa Camilly Almeida Moreira, declamou o poema “Duro não é o cabelo”, de Cleyton Mendes. Já o presidente da Associação dos Congadeiros de Itabira, o senhor Antônio Beato, contou histórias sobre a abolição da escravatura e a importância de Zumbi dos Palmares para o povo negro brasileiro.

Organizadora da Semana da Abolição da Escravatura, diretora de Promoção Para Igualdade Racial – da Secretaria Municipal de Governo -, e presidente do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial, Maria Helena Primo (Lena Primo) ressaltou a importância da Lei 7.716/89, que define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor. Para ela, mesmo com todo o avanço e conquistas, o racismo e o preconceito ainda estão presentes na sociedade brasileira.

“Não temos muito o que comemorar neste 13 de maio. Foram trocadas as chibatadas pela falta de reconhecimento, de oportunidade e pelo preconceito, apesar do avanço que tivemos com a Lei 7.716, que trata o racismo como crime. Infelizmente temos um país que ainda é racista. O brasileiro é racista. Em várias escolas que percorremos, conversamos com os alunos e vimos crianças e jovens chorando por causa disso. Também chorei muito e contei tudo o que passei. Mas estamos aqui na luta e não vamos deixar de seguir em frente”, ressaltou.Lena Primo destacou também o trabalho do Governo Municipal em prol da cultura negra em Itabira. Segundo ela, muitas pessoas cobraram a restauração do monumento em homenagem a Zumbi. Inaugurada em dezembro de 2004, na primeira gestão do prefeito Ronaldo Magalhães, a estátua estava sem uma das mãos há 14 anos. O responsável pela reforma, ocorrida em abril deste ano, é o artista plástico itabirano José Carlos Gomes. Os recursos utilizados foram disponibilizados pela Prefeitura.“Eu não tinha dúvidas de que no nosso governo resolveríamos a questão do monumento. O prefeito Ronaldo Magalhães sempre teve um enorme carinho por nossa causa. Ele nomeou secretários que têm carinho por nossa causa. Tudo o que precisamos, seja de qual secretaria for, todos estão sempre de portas abertas para nós. Este é um governo que nos deixa à vontade para trabalhar”, afirmou Lena Primo.

Representando Ronaldo Magalhães, que não pôde participar do evento por causa de outros compromissos, a vice-prefeita Dalma Helena Barcelos da Silva agradeceu a participação de todos os presentes e falou sobre a alegria de participar de um evento de valorização da cultura negra. “É uma alegria estar aqui para entregar esta estátua revitalizada. Essa é mais uma prova da  valorização da nossa cultura, da cultura negra que faz parte do nosso sangue, do nosso DNA, e que muitas vezes não tem o valor devido reconhecido”.

Doação de veículo
Durante o evento, a Diretoria de Promoção Para Igualdade Racial apresentou o veículo Citroen Air Cross, conquistado para atendimento exclusivo às comunidades quilombolas e ao Conselho Municipal para a Promoção da Igualdade Racial. O carro foi oferecido pelo Ministério de Direitos Humanos/Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Além de Itabira, apenas outras cinco cidades mineiras foram agraciadas com o veículo.

Semana da Abolição da Escravatura
Com o tema “Educando Itabira sem Racismo”, a Semana da Abolição da Escravatura – promovida pela Secretaria Municipal de Governo/Diretoria de Promoção Para Igualdade Racial – iniciou suas atividades no sábado (4). A agenda incluiu debates, rodas de conversa, exibição de filmes e outras intervenções em escolas de Itabira, Parlamento Jovem (Câmara Municipal) e comunidades quilombolas estabelecidas nas localidades de Morro Santo Antônio, Gomes, Pari e Jacutinga.

Lena Primo destacou que o objetivo da Semana foi “a afirmação da história e identidade negra brasileira, conscientização e prevenção da violação de direitos”. Ao longo de todo o ano, a diretoria atua com a temática, a exemplo do programa Educando Itabira sem Racismo, promovendo atividades de informação e conscientização em escolas da cidade.