Corregedoria apura denuncia de assédio de examinadores da P. Civil

Dois agentes da Polícia Civil lotados na Delegacia de João Monlevade que atuam como examinadores de trânsito são investigados por assédio. Eles teriam importunado uma moça durante o exame de legislação. Segundo o delegado regional da Polícia Civil, Paulo Tavares, a Corregedoria da Polícia Civil já está ciente da situação e apura a denúncia.

O caso também segue em investigação em processo administrativo aberto pela corporação e pelo Ministério Público. Um dos examinadores está afastado de suas funções. O nome dos envolvidos não foi divulgado.

Delegado Regional Paulo Tavares

No boletim policial registrado pela mulher que denunciou os agentes consta que a dupla a todo o instante elogiou a sua beleza e ficou insistentemente perguntando sobre a vida pessoal dela. A vítima denunciou ainda olhares insistentes dos homens.

Muito abalada, a mulher foi reprovada no exame e contou o caso ao marido dois dias depois do ocorrido. Eles registraram o boletim de ocorrências e ela teve o direito de fazer um outro exame de direção. Porém, segundo a vítima, esse exame também foi feito com um dos examinadores que a havia assediado. Novamente, ela foi reprovada.

Ainda conforme relatos da vítima para a polícia, no segundo teste de direção o avaliador teria dito que ela foi reprovada em retaliação à denúncia apresentada à Polícia Civil.

A mulher fará um novo exame, com outros avaliadores totalmente alheios ao caso.