Vereador Nenzinho pode ser afastado do cargo

Caso o vereador seja suspenso, o suplente José Júlio Rodrigues “Júlio do Combem” ocupa a vaga.

Weverton Limões “Nenzinho” - (foto arquivo)

O vereador Weverton Freitas Limões “Nenzinho” (PMN) corre o risco de ser afastado de sua função nos próximos dias devido a sua prisão temporária, por suspeitas de participação no caso das “rachadinhas” na Câmara Municipal de Itabira. Segundo o presidente da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal de Itabira, vereador Weverton Andrade “Vetão” (PSB), o regimento interno da Câmara não permite a permanência no cargo os vereadores que estão presos.

A declaração foi dada à imprensa na tarde desta terça-feira (9) durante a reunião da Câmara Municipal. Segundo Vetão, um pedido foi feito ao presidente Heraldo Noronha Rodrigues (PTB) para que se cumpra a lei e afaste o vereador preso. Além do afastamento, a Comissão de Ética pediu ao presidente que encaminhe um oficio ao Poder Judiciário, para que a comissão possa ter acesso ao processo que corre contra Nenzinho.

“A Comissão solicitou o presidente que pedisse as informações ao judiciário, por que o nosso regimento é claro, ao dizer que, quando o vereador é preso preventivamente cabe a ele a suspensão de seu mandato até que a prisão seja retirada”, informou Vetão.

Caso o vereador seja realmente suspenso, o suplente ocupa a vaga. Neste caso, assume José Júlio Rodrigues “Júlio do Combem” (PP), que em 2016 obteve 753 votos.

Matérias relacionadas

Rachadinha: Polícia Civil prende diretor e vereador da Câmara 

Vereadores retiram Nenzinho da Comissão de Ética da Câmara

Nota da Câmara sobre prisões de diretor e vereador