Metabase x Vale: Exigência dos trabalhadores é pauta de ACE

Nesta manhã (16) foram retomadas as negociações sobre o Acordo Coletivo Especifico entre a empresa Vale e o Sindicato Metabase Itabira, já que foram interrompidas pelo desastre em Brumadinho. As sugestões para a montagem da pauta foram colhidas em assembleia com os trabalhadores da empresa em 27 de março, onde por escrito e verbalmente, apresentaram suas reclamações e sugestões. “Esse acordo é de extrema importância, é neste momento que se discute temas de interesse dos trabalhadores de Itabira. Diferente do acordo coletivo nacional, no específico discute-se melhorias para os trabalhadores das minas de Conceição, Cauê e Periquito. É neste acordo que são apresentados os problemas que enfrentamos em nossa base, que vão desde os uniformes, até as condições de transporte do funcionários, por isso essa importância”, ressaltou o presidente do sindicato André Viana. Ainda de acordo com o presidente, “as reivindicações são muitas, já que a empresa tem cortado importantes conquistas nos últimos anos”.

Os assuntos sugeridos pelos trabalhadores e que foram abordados na reunião são: auxílio creche, jornada de trabalho, compensação dos dias úteis/feriados, uniformes, pagamento de academia, inclusão de medicamentos à lista dos credenciados, cartões lanche e escolar, retorno do vale cultura, plano de cargos e salários, perdão do abono, melhorias no transporte, dentre outros.Carlos Estevam “Cacá”, vice-presidente do Metabase Itabira, salientou que trabalha na Vale há trinta e quatro anos e nunca viu tamanha decepção entre os trabalhadores”. Ele disse: “Tenho 34 anos de empresa Vale. Passei por vários momentos, mas nunca nenhum como este. O trabalhador está decepcionado como a executiva, como os gerentes, tratam os trabalhadores. Antigamente tínhamos torneios, lazer e uma maior interação com a direção da empresa. Hoje, somos tratados como “máquinas de produção” ou seja, estamos ali somente para produzir, bater recordes de produção e bater metas de lucros. Qualquer trabalhador das minas sabe que as filas para os consultórios psicológicos da empresa aumentam a cada ano, a pressão exercida em cima da gente é a culpa disso. Trabalhador depressivo não rende, trabalhador triste não produz, trabalhador oprimido é prejuízo para empresa”.

Segundo André Viana, “é necessário trabalhar não apenas o corpo mas também a cabeça. Quando o funcionário entra em depressão, a empresa também entra. Por isso vamos lutar para que a Vale seja uma empresa alegre novamente. Funcionário grato, feliz, é produção garantida. Resgate ao otimismo, essa é a palavra de ordem”. Finalizou.

Uma assembleia será marcada para apresentar o Acordo Específico. Nela, os trabalhadores avaliam e votam.

Participaram da reunião o presidente do Metabase Itabira, André Viana Madeira e o vice, Carlos Estevam, o diretor de comunicação, Bruno Gomes, dentre outros. Representando a empresa os Relações Trabalhistas Divino Andrade e João Francisquini.