Chile se apega às últimas edições para disputar Copa América

Mesmo sendo os atuais bicampeões da Copa América, o Chile chega em crise para a disputa da competição neste ano. Os chilenos ficaram em sexto lugar nas Eliminatórias para a Copa da Rússia e sequer se classificaram para a repescagem, ficando fora após duas participações seguidas em Mundiais.

Se não bastasse isso, a poucos dias da estreia do Chile na Copa América, o volante Gary Medel quebrou o silêncio e confirmou que há um racha entre os jogadores convocados para disputar a competição e Claudio Bravo, goleiro que foi capitão e levantou a taça nas conquistas da Copa América em 2015 e 2016. O arqueiro, ex-Barcelona e que está atualmente no Manchester City, ficou de fora da lista divulgada por Reinaldo Rueda, ex-técnico do Flamengo e atual comandante do Chile.

Em amistoso preparatório para a Copa América, o Chile venceu o Haiti, de virada, na última quinta-feira (6). Apesar de uma atuação burocrática, os chilenos venceram por dois a um. Os gols foram marcados pelos atacantes Vargas e Fuenzalida.

O Chile está no grupo C da Copa América, ao lado de Uruguai, Equador e Japão. A estreia será contra os asiáticos, na próxima segunda-feira (17), no Morumbi. O segundo compromisso será contra os equatorianos, em Salvador. Fechando a primeira fase, os chilenos encaram o Uruguai, no Mineirão.

A grande esperança do Chile para a Copa América é o atacante Alexis Sánchez, do Manchester United. O jogador sofreu um entorse no tornozelo em cinco de maio e se recupera também de uma infecção. Sánchez foi eleito o melhor jogador da Copa América Centenário, disputada em 2016, nos Estados Unidos. Outro atleta de destaque é o volante Arturo Vidal, do Barcelona, conhecido pela raça e forte poder de marcação.

Campeão pela primeira vez da Copa América em 2015, jogando sob o comando de Jorge Sampaoli, os chilenos voltaram a ser campeões em 2016, na edição especial de 100 anos do torneio. Nas duas oportunidades, o Chile derrotou a Argentina na final. A última delas, com direito a pênalti isolado por Lionel Messi.

A equipe chilena venceu oito jogos durante as duas últimas edições da Copa América, em 2015 e 2016. Esse foi o mesmo número de vitórias que o Chile teve nas oito edições anteriores da competição.

Paulo Henrique

Matérias relacionadas

Japão volta a disputar Copa América após 20 anos

Uruguai quer manter hegemonia na Copa América

Peru sonha com tri da Copa América

Bolívia tem uma vitória nas últimas edições da Copa América