A força de Sergio Moro

A Esplanada dos Ministérios amanheceu, nesta quarta-feira (19), com uma homenagem ao ministro da Justiça, Sergio Moro. Foi levantado de frente ao prédio do Congresso Nacional um boneco do ex-juiz federal vestido como o personagem de histórias em quadrinhos Super-Homem.

O apoio popular demonstrado foi importante para o ministro, que enfrentou uma sabatina de nove horas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

Moro – de maneira voluntária – compareceu à Casa Alta do legislativo para esclarecer dúvidas sobre as supostas mensagens trocadas entre ele e membros da força-tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba. O conteúdo foi revelado pelo portal The Intercept Brasil.

Sergio Moro classificou o site como sensacionalista, negou que tenha agido em conluio com Ministério Público Federal e afirmou não ter apego pelo cargo de ministro, garantindo que deixaria o posto, caso sejam comprovadas irregularidades.

O ministro ainda desafiou o site a entregar as mensagens para uma perícia, no sentido de dar fidedignidade às acusações.

“Se ele diz que tem o maior escândalo do século, se ele diz que tem prova de graves ilícitos cometidos por procuradores, juízes e envolvidos nessa operação, então pega o material, entrega para uma autoridade, sem prejuízo da publicação das matérias. Aí, vai se poder verificar por inteiro esse material, o contexto no qual ele foi inserido e, principalmente, verificar se esse material é autêntico ou não”, afirmou Moro.

Além do apoio popular, Moro também recebeu suporte de muitos dos senadores presentes na CCJ. O prestígio do ministro foi constatado nas falas de Álvaro Dias (PODE-PR), Jorge Kajuru (PSB-GO), Plínio Valério (PSDB-AM) e Major Olímpio (PSL-SP), por exemplo. Todos enfatizaram a importância do ex-juiz na história do Brasil, principalmente na luta contra a corrupção.

“Ele está do lado da verdade, não precisa ensaiar. Fica claro uma tentativa de orquestração para diminuir a figura do Sergio Moro. Desde as 9 horas da manhã com absoluta tranquilidade e dizendo a verdade. Não tem nada”, disse Major Olímpio.

Sergio Moro enfrentou sua primeira prova de fogo desde que deixou de ser juiz. Se saiu bem. Inclusive, o ex-magistrado pode ter deixado a CCJ ainda mais fortalecido do que quando entrou. O ministro foi enfático: as mensagens divulgadas pelo Intercept não comprometem em nada a sua atuação como juiz. Ele ainda relembrou que as decisões proferidas pela 13ª Vara Federal de Curitiba foram confirmadas por instâncias superiores e destacou que a Lava Jato mudou a história do Brasil. Para o bem.

João Paulo Machado