Cassações de Nenzinho e Agnaldo são debatidas pela Comissão de Ética

A decisão, se os vereadores Weverton Júlio de Freitas Limões “Nenzinho” (PMN) e Agnaldo Vieira Gomes “Enfermeiro” (PRTB) serão cassados administrativamente, cabe aos vereadores. No entanto a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar é o órgão que conduz todo o processo, que já foi iniciado. Nos próximos dias a comissão fará a intimação aos dois vereadores, que ao tomarem conhecimento da abertura do processo terão 10 dias para apresentarem suas defesas.

Os dois vereadores respondem judicialmente pelo crime de “rachadinha”, cobrança de parte dos salários de seus assessores parlamentares. Nenzinho, está preso desde o dia 2 de julho, enquanto Agnaldo Enfermeiro é tido como foragido da justiça, o que dificultará a sua intimação para apresentar defesa junto à Comissão de Ética da Câmara.

O vereador Weverton Andrade “Vetão” (PSB), que preside a Comissão de Ética da Câmara Municipal, conversou com a imprensa ontem (10) e informou que quatro procedimentos com denúncias foram instaurados para apurar casos de importunação sexual e assédio, supostamente ocorridos dentro da Câmara Municipal. Estes casos, segundo ele, estão correndo “em sigilo absoluto, por envolver mulheres”.

Ainda de acordo com o vereador, nessa primeira fase a intenção é levantar informações sobre a possibilidade de ter ocorrido quebra de decoro parlamentar. Ele ressaltou que o colegiado não tem poder de Justiça e que os “trabalhos não visam punição”.

“É importante dizer que a gente não está aqui mencionando nenhuma pena. Ainda tem todo um processo a se passar, mas caso chegue à conclusão de cassação de vereador, o plenário votará por voto aberto. Então, a população terá como fazer esse controle das decisões”, disse Vetão.

Matérias relacionadas: 

Heraldo vai afastar Nenzinho (preso) e Agnaldo (foragido)

Afastamento por “rachadinha” depende de decisão judicial, diz presidente da Câmara

Justiça decreta prisão de mais um vereador em Itabira

Delegado indicia três no caso da rachadinha na Câmara de Itabira

Rachadinha: Polícia Civil prende diretor e vereador da Câmara