Cobertura vacinal contra sarampo em Itabira está acima do recomendado

Ilustração

A Cobertura em Itabira está acima do recomendado pelo Ministério da Saúde”, diz Superintendência de Vigilância em Saúde. Apesar de algumas regiões do país apresentarem casos confirmados, no município não existem. A única maneira de manter a população segura é por meio da vacina.

“A cobertura vacinal contra o sarampo em Itabira está acima do recomendado pelo Ministério da Saúde, para a faixa etária determinada pelo Programa Nacional de Imunização. Mesmo assim mantemos a vigilância”, declarou na manhã desta terça-feira (10) a superintendente em Vigilância em Saúde da Prefeitura de Itabira, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta. Até o momento, não há registro de nenhum caso confirmado da doença no município e existe um caso em investigação.

Uma criança de um ano e cinco meses de idade foi imunizada com a segunda dose da vacina no último dia 26 de agosto. No dia 31, iniciou com sintomas sugestivos da doença. No entanto, após a avaliação médica o caso foi classificado como reação vacinal, estando ainda sob investigação.

“Assim que tomamos conhecimento deste caso, prontamente o Protocolo foi aplicado. As ações de bloqueio que competem ao município, como avaliação da situação vacinal de todos os contatos do caso suspeito e vacinação imediata dos casos necessários, em até 72 horas, foram realizados. Os exames laboratoriais estão sendo realizados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), mesmo o sarampo tendo sido preliminarmente descartado após avaliação médica”, explicou Thereza Andrade.

O Ministério da Saúde (MS) recomenda a imunização de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação. O esquema vacinal contra o sarampo para crianças é de uma dose de Triviral aos 12 meses e outra aos 15 meses de idade. A partir de 12 meses a 29 anos de idade, o MS recomenda duas doses da vacina contendo o componente sarampo e de 30 a 49 anos de idade uma dose. Os profissionais de saúde devem ter comprovação de duas doses da vacinal com componente sarampo, independentemente da faixa etária.

Com o aumento do número de casos em algumas regiões do país, o MS tem intensificado a vacinação e recomendado que crianças entre seis e 11 meses de idade e 29 dias recebam uma dose de Triviral. Esta dose não será considerada válida para fins do Calendário Nacional de Vacinação, devendo ser administrada dose de rotina aos 12 meses e 15 meses.

Em Itabira, até o momento, já foram aplicadas 3.775 doses da tríplice viral – número considerado excelente pelas autoridades em saúde. Thereza Andrade ressalta que todas as unidades de saúde do município estão preparadas para agir em caso de suspeita da doença e orienta que aquele que apresentar febre, tosse persistente, irritação ocular, coriza, mal-estar intenso e manchas vermelhas (exantema) devem procurar uma unidade de saúde, pois, estes podem ser sintomas sugestivos de sarampo.

A Superintendente de Vigilância em Saúde destacou ainda que o Município possui disponível a vacina tríplice viral para a rotina de imunização. As salas de vacinação das unidades básicas de saúde (UBS) funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Quem tiver dúvidas sobre a vacinação contra o sarampo, procure orientações na UBS, preferencialmente, com o cartão de vacinação.