Civil prende mulher acusada de estelionato em seis cidades

Uma mulher de 19 anos foi presa pela Polícia Civil de Minas Gerais acusada de praticar reiterado ato criminoso de estelionato.

A prisão aconteceu na última quinta-feira (31), onde a mulher é investigada em vários inquéritos policiais por crimes de estelionato, em diversas modalidades de golpe, nas cidades de Belo Horizonte, Barbacena, Prado, Cristino Otoni, Alfredo Vasconcelos e Conselheiro Lafaiete. São pelo menos 10 registros de ocorrência existentes na região.

O principal golpe aplicado pela acusada envolve a negociação de aparelhos celulares através da rede social, onde ela anunciava a venda de telefones e exigia que o comprador interessado realizasse um depósito em contas bancárias existentes em seu nome. Após o depósito, a mesma bloqueava o comprador nas redes sociais, nos seus telefones de contato e ficava com o dinheiro depositado. Esse golpe era realizado, frequentemente, pela investigada que já se valeu de vários perfis e números de telefone diferentes. Além dessa modalidade de golpe, a mulher também já contratou serviços de fotografia, fez compra de ingressos de um evento e, em ambos os casos, após receber os produtos/serviços, fez depósitos com valores muito menores do que os combinados com as vítimas.

As vítimas se uniram em um grupo no aplicativo de troca de mensagens Whatsapp, denominado ENGANADOS, para trocar informações sobre os golpes praticados.

A suspeita tentou ainda alegar que teria sido vítima de fraude e que outra pessoa estaria usando seus dados para praticar os golpes. Porém, após investigações, foi constatado que o número de telefone fornecido pela investigada para as vítimas fazerem contato era o mesmo número fornecido pela acusada na própria lavratura do boletim de ocorrência em que se passava por vítima.

Na residência da mesma foram apreendidos cartões de crédito, diversos chips de aparelhos celulares, dois telefones, cerca de R$ 2.500,00 em dinheiro, vários óculos, bijuterias e documentos que ligam à investigada aos crimes praticados.

Fonte: PCMG