Metabase/divulgação

ACT 2019/2020: Trabalhadores da Vale aprovam proposta

Metabase realiza mais uma assembleia para acordo coletivo, desta vez com trabalhadores da Vale.Os trabalhadores da Vale lotaram o ginásio coberto do Clube Ativa em Itabira na manhã e noite desta quarta-feira (27). Após a oração do Pai Nosso, minuto de silêncio e grito de guerra em homenagem às vítimas de Brumadinho e execução do Hino Nacional Brasileiro, o presidente do Metabase Itabira, André Viana, iniciou a assembleia para o acordo coletivo do trabalho. A primeira a falar foi a coordenadora do departamento jurídico do sindicato Dafne Andrade. Ela esclareceu pontos sobre a ação de periculosidade movida pelo Metabase Itabira envolvendo os auxiliares e operadores de escavadeiras elétricas, futuras ações judiciais em favor de soldadores e lubrificadores e a importância da contribuição assistencial.O vice-presidente Carlos Estevam “Cacá” falou em seguida e alertou para os assédios morais e sexuais que acontecem nas minas, fez um alerta sobre as diversas denúncias que chegam constantemente ao sindicato, sobre a atual conjuntura econômica do país e lembrou que “enquanto a Vale teve de paralisar suas minas por conta das barragens, os trabalhadores de Itabira mantiveram-na em plena operação e isso a empresa tem que levar em conta”.

Último a falar, André Viana comentou sobre a solicitação da mediação do Ministério Público do Trabalho junto à estabilidade dos trabalhadores. Em seguida, ele apresentou, por meio de um telão, os números “que comprovam que a Vale tem todas as condições financeiras de oferecer uma proposta melhor do que apresentada”.André mostrou que a empresa quebrou recorde de produção em minério de ferro em 2018 gerando quase R$12 bilhões de caixa apenas no 3º trimestre e R$14,5 bilhões no 4º trimestre, fazendo o lucro da empresa crescer em 45,6%. André disse mais: “Mesmo com o crime em Brumadinho, com centenas de mortos, o desempenho da Vale em 2019 é ainda superior ao ano anterior. A empresa teve crescimento na arrecadação e redução nos custos de produção, fazendo com que o lucro bruto aumentasse 13,5% no primeiro semestre de 2019 em relação à 2018. O crime afetou apenas o lucro líquido do primeiro trimestre, devido aos montantes retidos pelo governo. Ainda assim, este lucro líquido foi facilmente revertido ainda no terceiro trimestre deste ano”. Com relação ao endividamento da Vale ele disse que “nunca foi tão reduzido”. Mesmo após Brumadinho, a Vale atingiu um dos índices mais baixos de seu endividamento ao fim do segundo semestre de 2019. Uma redução de 15,6% no segundo semestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano anterior e uma redução de 61,17% em relação à 2016.

Lembrando a qualidade dos serviços prestados pelos trabalhadores, o presidente do Metabase disse que “todos os anos a Vale bate seu recorde na produção de minério de ferro. Novamente, em 2018, a empresa atingiu a impressionante marca de 384,6 milhões de toneladas produzidas. Produção 4,9% superior à do ano anterior.

Apesar do crescimento continuado na produção, o número total de trabalhadores da empresa continua a cair. Passou de 73.596 trabalhadores em 2017 para 70.270 em 2018, uma queda de 4,58% e vai fechar este ano com um índice ainda mais baixo”.

André finalizou sua fala dizendo que “cada trabalhador produziu incríveis R$1 milhão e 22 mil reais para a Vale em um ano. Isto descontando todos os custos de produção e impostos.

A segunda etapa da assembleia foi encerrada às 19:30 horas com aprovação da contraproposta da empresa com os seguintes números:

Sim: 817 – 71%; Não: 319 – 27; Abstenções 14 – 2%; o comparecimento às urnas foi de 1136 trabalhadores.