Vale e Prefeitura de Barão terão que explicar onde gastaram dinheiro

O promotor de Justiça Luiz Gustavo Pantuzzi, da força-tarefa do Ministério Público de Minas Gerais, e a promotora da Comarca de Barão de Cocais, Clarice Perez do Nascimento, convocaram a Vale e a Prefeitura daquela cidade para uma reunião amanhã, às 14h, na Universidade Aberta do Brasil (UAB), no bairro Cidade Nova.

A empresa terá que apresentar os valores repassados à Prefeitura e o prefeito Décio Geraldo dos Santos (PV), detalhar o que vem sendo feito com o dinheiro. O Ministério Público também quer explicações do porque as demandas apresentadas pelos ribeirinhos e moradores das comunidades de Socorro, Tabuleiro e Piteira ainda não foram atendidas.

Foto: Agência Brasil

No dia 8 de fevereiro – daqui a exatamente um mês –, completará um ano que as sirenes da barragem Sul Superior, na mina de Gongo Soco, da Vale, tocaram, levando à remoção de aproximadamente 450 famílias dessas localidades.

Segundo o coordenador da Comissão dos Ribeirinhos, Maxwell Andrade, a Vale não está cumprindo os acordos individuais fechados com os ribeirinhos. “O morador apresenta toda a demanda, documentos, os prejuízos e a Vale não coloca prazo para atender. Tem pessoas esperando há mais de quatro meses, sem nenhum posicionamento da empresa. Isso é uma falta de respeito, não se pode esperar a vida inteira”, explicou o coordenador.

Maxwell Andrade disse ainda que foram apresentados diversos pedidos à Prefeitura e à Vale, através de ofícios, cobrando esclarecimentos. “Fizemos diversas reivindicações e nem responderam. Uma delas é a drenagem e limpeza do rio São João e ninguém fala nada. Por isso, mobilizamos a força-tarefa do Ministério Público para que a Vale e a Prefeitura possam esclarecer os fatos e colocar prazo em atender as demandas”, justificou ele.

O coordenador da Comissão dos Ribeirinhos está propondo que seja discutida, na reunião de amanhã, a criação de um grupo para fiscalizar as obras e os repasses para o Município realizados pela Vale. “A gente só fica sabendo que a Vale está fazendo as obras e repassando dinheiro, mas não se tem transparência. Eu mesmo fiquei sabendo que só no setor da saúde a Vale investiu mais de R$ 5 milhões. A gente sabe que o dinheiro está chegando, mas não sabemos para onde está indo”, comentou Maxwell Andrade.

Fonte: Diário de Itabira