Chuva molha corpo durante Velório

Velório Municipal de João Monlevade passou por reformas em 2016. Desde a entrega das obras surgem reclamações diversos.

Um corpo que estava sendo velado na Capela 1, do Velório Municipal de João Monlevade, teve que ser retirado rapidamente do local por causa de goteiras que caíram justamente em cima do caixão durante a cerimônia fúnebre.

O fato aconteceu durante a chuva que caiu no início da tarde deste domingo (19). Os familiares e amigos que velavam o corpo ficaram revoltados com a situação. O caixão precisou ser removido do lugar.

Essa não é a primeira vez que goteiras são registradas nas salas destinas a velórios. Em maio do ano passado, um fato semelhante foi registrado na capela 3 e chamou a atenção dos vereadores durante uma reunião da Câmara. Depois de uma reclamação e denúncias, a Prefeitura improvisou solução ao problema com o uso de uma lona por cima do telhado.

Em 2017 também foi registrado o problema no Velório Municipal. Na época, o vazamento de água pelo telhado estava mais intenso e foi preciso acionar a empresa que realizou os reparos no local no ano anterior para novas obras.

Na época, as reformas [em 2016] custaram aos cofres públicos R$ 200 mil.

Empresa que fez reforma será acionada

Nossa reportagem solicitou um posicionamento da administração municipal sobre o problema recorrente. Conforme a Assessoria de Comunicação do órgão, ”a Prefeitura colocou uma lona sobre o telhado, mas as fortes chuvas e o vento acabaram deslocando a lona do local. A última reforma feita, legalmente, ainda é de responsabilidade da empresa que prestou o serviço, a qual já foi acionada e deverá proceder aos reparos, dentro do prazo legal”.

Fonte: Bell Silva/O Popular