Vale perde 17 bilhões por causa do coronavírus na China

A Vale perdeu R$ 17,3 bilhões no mercado devido a preocupação do investidores chineses com os efeitos do coronavírus na economia global. A empresa tem a China como uma das principais compradoras do seu minério de ferro, o que fez com que o valor de suas ações, ligadas a commodities listadas no Índice de Referência da Bolsa de São Paulo (Ibovespa) perdessem bilhões em valor de mercado.

O temor atingiu também a Petrobrás, que perdeu R$ 16,8 bilhões. Juntas, as duas empresas somam perdas de R$ 34,1 bilhões, somente no pregão realizado ontem (27). O risco do vírus não está mais limitado á China, o que contribuiu para o impacto na economia global. A Organização Mundial de Saúde (OMS) corrigiu a sua avaliação e divulgou que o risco da doença “é alto tanto para a China, quanto para o mundo”.

Desde o início das notificações de coronavírus, em 3 de janeiro deste ano, a Vale acumula uma perda de R$ 18 bilhões. A Petrobras, R$ 29,8 bilhões.

Outras empresas ligadas à mineração e siderurgia, também registraram queda na economia. CSN (CSNA3), Usiminas (USIM5) e Gerdau (GGBR4) caíram entre 6% e 8%. Os ativos da Gerdau tiveram baixa de 7,94%, seguidos por CSN, com queda de 7,78%, e Metalúrgica Gerdau, com desvalorização de 7,51%, enquanto Usiminas caiu 7,12%. Marfrig teve queda de 7,27%, enquanto JBS desvalorizou 6,83%.