Um ano após Comunidade do Socorro pede, “SOCORRO”

A vida em Socorro mudou, abruptamente, A partir das 1h30 do dia 8 de fevereiro de 2019 – há um ano – quando as sirenes da Vale soaram, pela primeira vez, era o som do susto, do terror, do medo, era o som que ninguém jamais queria ter ouvido, era o som que determinava a saída imediata de todos os moradores, devido ao risco iminente de rompimento da barragem Sul Superior, da mina de Gongo Soco, Vale.

Neste sábado, 8 de fevereuro dd 2020, os moradores protestam contra a Vale na praça Nossa Senhora Aparecida. Eles moradores que simplesmente moraram uma vida inteira, naquela localidade tiveram que abandonar tudo, isso mesmo, toda uma história de vida simples, e pacata.

Hoje eles protestam contra os desmando da Vale. Hoje completa um ano do risco de rompimento da barragem Sul Superior de Gongo Soco.

Com um culto religioso na localidade que tiveram que abandonar, e com caminhada pelas ruas de Barão de Cocais ele lembraram o que não pode ser esquecido, “a dor de deixar tudo pra trás”.