Somente 24 pessoas participaram da reunião sobre Barragens

De acordo com relatos a baixa credibilidade nas informações nos últimos anos que foram sendo repassadas pela Mineradora e seus representantes, pode ser o resultado da baixa presença da população na reunião sobre as Barragens. Nem sempre da para confiar nas informações repassadas por eles, disse uma santa-barbarense. 

O pequeno público foi destaque na reunião promovida pela Vale, ontem à noite (terça-feira 18/02), para atestar a segurança de suas barragens em Santa Bárbara. Metade das 24 pessoas presentes eram funcionários da mineradora.

Havia apenas 12 pessoas não vinculadas diretamente à empresa, incluindo o presidente da Câmara de Santa Bárbara, Moisés Cardoso Sanches (PSL), e o secretário municipal de Meio Ambiente, Felipe Fernandes Guerra, mas os dois permaneceram calados na reunião. Essa falta de participação popular foi questionada pelos três únicos moradores que se pronunciaram. A ausência dos representantes políticos também foi cobrada por eles, principalmente por ser uma reunião para atender determinação da lei municipal 1.900/2019 – pela qual, as mineradoras têm obrigação de prestar esclarecimentos sobre as condições de suas barragens.

Paulo Roberto Souza “Pezão”, ex-vice-prefeito de Santa Bárbara e morador do bairro Santa Mônica, fez questão de ressaltar o efeito negativo da baixa adesão popular e política. Em sua fala, ele ponderou a necessidade de as pessoas se inteirarem de assuntos ambientais de grande impacto social.

“Faltou e muito [a presença de agentes políticos], porque uma reunião deste nível é um assunto que repercutiu na mídia mundial e os nossos representantes estarem ausentes é um descaso com a população. Por outro lado, a sociedade está muito acomodada, esperando as coisas acontecerem para participar”, criticou.

Fonte: Diário de Itabira