Crédito fotos: divulgação

Santa Maria decreta emergência após chuvas de 04 de março

Até o presente momento, mais de 20 comunidades rurais de Santa Maria de Itabira/MG se encontram em condições precárias de comunicação viária devido à destruição maciça das estradas pelas intensas chuvas da madrugada do dia 04 de março. O levantamento está sendo feito em conjunto pelas Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos e a Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente. Cerca de 50% das estradas rurais encontram-se parcial ou totalmente interditadas devido a quedas de taludes, erosão nas vias, destruição parcial ou total de pontes ou passagens tubulares de cursos de água.
.
A intensidade das chuvas do final de janeiro, a continuidade das chuvas ao longo do mês de fevereiro, tornaram os taludes saturados de água e, com a tempestade concentrada do dia 04, vieram abaixo colocando casas em risco, destruindo trechos de estrada e causando desmoronamento de pistas das estradas rurais e estragos em ruas e casas na zona urbana.
.
As barreiras nas estradas atingiram, principalmente, as comunidades de Mata do Meio, Baú Simão, Baú, Angelim, Jardim, Cubas, Comandante, Lavoura, Sororó, Palha, Mariquita, Morro Escuro, Esbarro, Barro Preto, Bela Vista, Macuco, Córrego das Flores, Cotovelo, Córrego Frio, Motas, Biboca, Ferrugem e o perímetro ao redor do Distrito de Itauninha.
.
As comunidades de Comandante, Cubas, Mariquita, Macuco, Motas, Cutia e São Francisco estão como sua trafegabilidade comprometida devido à danificação de pontes e tubulações de passagem de riachos. Na Comunidade Quilombola do Barro Preto, as águas danificaram a cabeceira da ponte existente próximo da Escola Municipal Padre Estevam.
.
Apesar do encontro do Rio Tanque e do Ribeirão Jirau, dentro da área urbana do município, terem causado uma enchente que ultrapassou a calha do Jirau, em cerca de 2 horas a situação se normalizou, deixando para trás apenas a sujeira dos sedimentos. Mas, diversos pontos do Bairro Marília Costa sofreram quedas de taludes, colocando casas em risco, interditando ruas e chegando a impossibilitar o acesso a diversas casas devido ao desaparecimento de uma viela.
.
Com o novo cenário de destruição, passados 40 dias da tempestade anterior que assolou no município, principalmente a zona rural, o Prefeito Reinaldo das Dores Santos editou novo decreto de Situação de Emergência, conforme orientação da Defesa Civil Nacional. O decreto, juntamente com o relatório da Defesa Civil Municipal, se torna o lastro principal para nova solicitação de reconhecimento federal, já realizada.
.
A Prefeitura de Santa Maria de Itabira realiza uma avaliação dos danos mais drásticos para buscar recursos para a reconstrução de pontes, trechos de rua, recomposição de vias destruídas e outras obras mais vultosas.
.
A recuperação das estradas tem sido mais lenta devido à intensidade dos estragos – trechos de mais de 50 metros deixaram de existir soterrados por deslizamentos – e a Prefeitura colocou todo o maquinário e pessoal disponível para a reabertura das vias.