Ascom/PMI

ItabiraPrev já rendeu R$ 66 milhões desde 2017

Os servidores concursados da Prefeitura contam com um regime próprio de previdência, o Instituto de Previdência de Itabira (ItabiraPrev), e, a contribuição descontada mês a mês de cada trabalhador – complementada pela Administração Municipal – é aplicada em opções variadas de investimento de forma a buscar a melhor rentabilidade do dinheiro a longo prazo. Essa prática apresenta resultados históricos e relevantes à manutenção das aposentadorias e outros benefícios previdenciários.

Em 2019, o ItabiraPrev registrou a melhor performance da história de sua carteira de aplicações: obteve retorno superior a R$ 40 milhões em investimentos, com rentabilidade anual de 16,45%. O patrimônio do instituto fechou o ano em R$ 291 milhões, com crescimento de 25,81% em relação aos R$ 231 milhões que detinha em janeiro daquele ano.

Já que a tradicional poupança rende cada vez menos, os números demonstram uma carteira equilibrada e diversificada, que busca os maiores retornos em qualquer cenário macroeconômico, apontam gestores. Segundo Eduardo Cássio Procópio, diretor-presidente do ItabiraPrev, há aportes aplicados hoje em pelo menos 40 ativos entre renda fixa, variável e fundos multimercados, por exemplo.

“Nós temos que fazer uma reserva para o pagamento de benefícios futuros, com rentabilidade suficiente para cobrir os pagamentos. Aplicar o dinheiro em poupança não é viável e por isso compramos títulos do Governo Federal, em conformidade com a legislação, e também ações de empresas sólidas com rentabilidade atrativa”, explica Procópio.

Para operar a carteira da melhor maneira, o ItabiraPrev tem um comitê de investimentos, com membros certificados pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), e é cliente da Crédito & Mercado, empresa paulista de assessoria em investimentos.

Eduardo Procópio cita que hoje o ItabiraPrev mantém destacável saúde financeira, superando o impasse da dívida que o Município tinha com o instituto no governo passado, parcelada e sem passivos. “Hoje e nos próximos anos não há nenhuma dificuldade prevista para pagamento de benefícios”, pontuou. O regime de previdência assiste aproximadamente 2.700 servidores municipais ativos e inativos.

Pandemia

A economia global foi atingida pela pandemia do novo coronavírus e, no Brasil, não foi diferente – o Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, sofreu forte impacto. De acordo com o noticiário financeiro, alguns setores da economia sentiram mais a desaceleração que outros, sobretudo nos meses de fevereiro e março. Por causa da oscilação do mercado, a carteira de ativos do ItabiraPrev recuou R$ 25,7 milhões no mês de março. Todavia, fechou abril e maio com recuperação acumulada de R$ 14,2 milhões.

“Não há retorno sem risco e sem retorno não há recurso para pagar os segurados. Porém, o risco é atenuado entre os mais variados tipos de investimentos, visando retorno no longo prazo. Para os próximos meses, há expectativas da continuidade da recuperação”, ponderou Eduardo Prócopio, gestor do instituto.

O portfólio de aplicações do Itabiraprev obteve, de janeiro de 2017 até maio de 2020, R$ 66,1 milhões em rendimentos, mantendo, assim, resultado satisfatório apesar do recuo trazido pela Covid-19.

O déficit nos rendimentos observado em março foi ventilado em redes sociais de forma equivocada, questionando a sustentabilidade do regime próprio de previdência. “Durante o governo de Ronaldo Magalhães tivemos rentabilidade superior a R$ 66 milhões, considerando alguns períodos pontuais e críticos na economia. Devemos observar, sobretudo, a rentabilidade obtida a longo prazo. Temos hoje um dos institutos de previdência melhor geridos no país”, assegura Marcos Alvarenga Duarte, contador e secretário municipal de Fazenda.

As finanças do ItabiraPrev estão disponíveis no Portal da Transparência da autarquia (itabiraprev.com.br). “Nos preocupa as chamadas fake news e publicações com recortes equivocados de informações com outros objetivos senão o bem do servidor”, continuou Alvarenga.

Veja também

Itabira conquista novas máquinas de hemodiálise