Ilustração

PL prevê mais parcelas do seguro-desemprego na pandemia

Proposta do deputado Bohn Gass (PT-RS) prolonga pagamento em até sete parcelas durante pandemia e nos seis meses subsequentes ao estado de calamidade.

Uma proposta do deputado Bohn Gass, do PT gaúcho, prevê que, durante o período de pandemia e nos seis meses seguintes, sejam concedidas ao trabalhador até sete parcelas do seguro-desemprego. O estado de calamidade pública foi reconhecido pelo Congresso Nacional até dezembro deste ano.

O projeto também é assinado por outros cinco parlamentares. De acordo com o texto, a União vai arcar com as despesas decorrentes das novas parcelas do seguro-desemprego e o pagamento deve ser operacionalizado pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Normalmente, o pagamento é feito entre três e cinco parcelas, a depender do tempo que o trabalhador ficou empregado.

Segundo dados do IBGE, a taxa de desocupação no Brasil subiu 1,2 ponto percentual e ficou em quase 13% no trimestre encerrado em maio. Pela primeira vez na série histórica, iniciada em 2012, a parcela de ocupados (49,5%) foi menor do que a de desocupados entre as pessoas em idade para trabalhar.

Jalila Arabi

Veja também

Governo redistribui R$ 12 milhões em recursos do FAT voltados ao SINE