Crédito: PMMG/divulgação

PMMG lança cartilhas sobre violência contra a mulher

Crédito: PMMG

A Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), por meio das 1ª e 2 ª Companhias Independentes de Prevenção à Violência Doméstica (CIA IND PVD), começou a distribuir e conversar com condutores sobre a “Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher”. O material informa quais são os tipos de violência com exemplos práticos, o que é medida protetiva de urgência e o que fazer nos casos em que presenciar ou for vítima de violência doméstica. A primeira ação de distribuição do material ocorreu em uma blitz, na manhã desta quarta-feira (05/08), na avenida Amazonas, entre Contagem e BH.

Crédito: PMMG
Na oportunidade, foram lançadas três cartilhas com orientações aos autores, às vítimas e contendo diversos aspectos da Lei Maria da Penha, que nessa sexta-feira (07/08) completa 14 anos de existência. A distribuição ocorrerá durante os atendimentos, reforçando as explicações que já eram dadas pelas Patrulhas de Prevenção à Violência Doméstica e que fazem parte do protocolo de atendimento.

A ação faz parte das atividades de prevenção e conscientização que a PMMG lança em todos os municípios de Minas, buscando mobilizar toda a sociedade e contribuir para um ambiente mais seguro às mulheres, e também integra a campanha Agosto Lilás.

Crédito: PMMG

A blitz ocorreu com o apoio do Batalhão de Trânsito e do 39º BPM, além das presenças da comandante da 1ª Companhia Independe de Prevenção a Violência Doméstica (Cia Ind PVD), a tenente-coronel Cleide Barcelos, e a comandante da 2ª Cia Ind PVD, tenente-coronel Fabíola Gonçalves Barbosa.

A Patrulha de Prevenção à Violência doméstica é uma guarnição composta por uma policial feminina e um policial masculino e tem como missão dar propiciar um atendimento mais humanizado à mulher vítima de violência doméstica e familiar, garantir o seu encaminhamento aos demais órgãos da Rede Estadual de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, de tal forma que receba do poder público, no menor tempo possível, a atenção devida ao seu caso, bem como atuar na dissuasão do agressor incidindo na quebra do ciclo da violência.
Fonte: PMMG