Ascom/PMI

Itabira adere ao programa Minas Consciente

Por meio de decreto municipal, Itabira passa a seguir regras do Governo de Minas Gerais pelo programa que busca auxiliar na retomada gradual das atividades econômicas em todo o estado, durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19).

A Prefeitura informou nesta sexta-feira (7) que aderiu ao programa estadual Minas Consciente – Retomando a Economia do Jeito Certo, que orienta o resgate gradual e seguro das atividades econômicas em toda Minas Gerais, durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19). A notícia foi anunciada pelo prefeito Ronaldo Magalhães, durante uma entrevista concedida aos órgãos de imprensa de Itabira, no auditório do Pelotão do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, no bairro Amazonas.

“Para chegar até aqui dependemos de muito trabalho, ação, dedicação, planejamento e discussão. E é isso que temos feito. Definimos esta semana, depois de várias conversas com o Governo do Estado, que teríamos que mudar nosso rumo de participação no combate ao novo coronavírus. Assim, entramos no Minas Consciente. Hoje o Estado entende que temos que trabalhar junto com nossa microrregião de saúde, pois, assim, teremos uma participação mais efetiva dos municípios e um controle melhor sobre a situação”, explicou o prefeito.

O Minas Consciente foi baseado nas informações fornecidas por diversas instituições e entidades de classe, com o objetivo de auxiliar os municípios mineiros para que possam agir de maneira correta e responsável, mantendo os bons resultados apresentados pelo Estado na contenção da pandemia. O programa, criado por meio das secretarias de Desenvolvimento Econômico (Sedese) e de Saúde (SES/MG), sugere a retomada gradual do comércio, serviços e outros setores, a fim de levar a sociedade, pouco a pouco, à normalidade, por meio de um sistema de critérios e protocolos sanitários que garantam a segurança da população.

O plano setoriza as atividades econômicas por etapas. São elas: onda 1 – vermelha, referente aos serviços essenciais; onda 2 – amarela, serviços não essenciais; e onda 3 – verde, serviços não essenciais com alto índice de contágio por covid-19. “A divisão funciona de forma semelhante a um semáforo”, explica o secretário-adjunto da Sedese, Fernando Passalio, e completa: “A onda vermelha é a mais restritiva, é o ‘pare’, com a abertura de menos setores. A amarela é intermediária, em que começamos a incluir setores como vestuário, salões de beleza, lojas de variedades e de departamentos. Por último temos a onda verde, que seria o ‘siga’, com ampliação dos setores que podem funcionar”.

Para oficializar a adesão, Ronaldo Magalhães emitiu o Decreto Municipal nº 3.616/20, publicado no Diário Oficial do Município nesta manhã. O previsto no documento entra em vigor a partir da segunda-feira (10). De acordo com a Sedese, as cidades que aderirem ao Minas Consciente devem encaminhar o decreto e um ofício ao Governo do Estado, legitimando a entrada no plano.

“Esta é uma fase que se abre na medida que fazemos um chamamento da sociedade, da população em geral, junto conosco para o controle da pandemia. Todos queremos achar um caminho para viver ‘o novo normal’. Para isso, com responsabilidade e segurança, precisamos de ir acompanhando esse movimento, aos poucos, semana por semana de avaliação, semana por semana ganhando a condição e o crédito de poder liberar todas as atividades, o que não é o caso nesse momento. Mas é o primeiro passo”, disse a secretária municipal de Saúde, Rosana Linhares Assis Figueiredo.

Itabira encontra-se enquadrada, conforme o Plano, na onda amarela. Neste caso, poderão funcionar: restaurantes e bares (consumo local); autoescolas e cursos de pilotagem; salões de beleza e atividades de estética; comércio de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo; papelarias, lojas de livros, discos e revistas; lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem; comércio de itens de cama, mesa e banho; lojas de móveis e lustres; imobiliárias; lojas de brinquedos; hotéis e afins.

Rosana Linhares conclamou a sociedade a participar ativamente no controle da participar. “À comunidade, empresários, a todos que comungam conosco do controle da pandemia, cientes de que estamos com esse direito de escolha, até porque estamos sim com um controle de excelência, ressalto: agora é o momento de mais controle e apoio para que façamos todas as tarefas individuais para ganharmos no coletivo o direito de chegar à última onda”.

Saiba mais

Para evoluir da onda amarela para a verde, o município deve cumprir as restrições por 28 dias e ter, neste período, seus indicadores estáveis. Vale ressaltar que as cidades podem ser obrigadas a retroceder de onda, a qualquer momento, caso os dados epidemiológicos mostrem avanço descontrolado da doença.

Em Itabira, tem hoje 1.449 casos confirmados de covid-19. Destes, 1.171 pessoas estão recuperadas, seis óbitos, 269 pessoas em isolamento domiciliar e três hospitalizados em enfermaria.