Ascom/PMI

Itabira 172 anos: Presentes e História

A centenária Itabira completa 172 anos de emancipação política com o seu Centro Histórico completamente revitalizado. Neste dia 8, véspera de seu aniversário, a cidade recebeu a reforma de mais dois prédios tombados pelo Município. O que já pode ser considerado um presente para Itabira que terá, com isso, um futuro com sua história melhor preservada.

Participaram das ações, desta quinta-feira, a superintendente da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA), Martha Mousinho Gomes Barbosa, e dos secretários municipais de Obras, Transportes e Trânsito, Ronaldo Lott Pires, e Desenvolvimento Urbano, Robson Costa de Souza, do presidente da Empresa de Desenvolvimento de Itabira (Itaurb), Sérgio Amaral, e do subsecretário de comunicação, Valério Adélio.

“Hoje, nós estamos entregando o Centro de Artesanato e a sede da Banda Euterpe (construções tombadas pelo Município). As duas reformas foram realizadas com recursos estaduais, mas isso graças a todo um esforço do Município – através dos departamentos de Patrimônio Histórico e do de Obras”, ressalta o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, Robson de Souza.

De acordo com ele, o Centro Itabirano de Artesanato está ocupando um casarão construído em 1915. Prédio este que já abrigou a sede da distribuidora da primeira hidrelétrica de Itabira, que à época tinha sua eletricidade gerada pela usina do Ribeirão São José. A relevância desta construção fica mais evidente quando a história nos revela ainda que esta mesma usina foi também a segunda hidrelétrica de Minas.

Cabe frisar também que a construção foi inaugurada por Coronel José Batista da Costa e Alexandre Drummond; políticos itabiranos que ainda hoje são homenageados na fachada – com seus respectivos bustos moldados pelo santeiro Alfredo Duval.

Além disso, Robson de Souza explica que o repasse do Estado também possibilitou a revitalização da casa e do painel da Sociedade Musical Banda Euterpe. O tradicional grupo comemora 157 anos em novembro de 2020 e já ocupa a atual sede desde 1937.

Depois, o prédio foi reconstruído e novamente entregue à Banda Euterpe pelo então prefeito Daniel Jardim de Grisolia que também fez este painel elogiando os músicos de Itabira no ano 1968. Hoje, o casarão é usado para a realização de aulas de música e ensaios da Banda Euterpe.

Entenda: Em 2020, o Programa ICMS Patrimônio Cultural completa 25 anos de existência e alcança uma marca importante para Minas Gerais, estado pioneiro nessa política que permitiu a revitalização do Centro Histórico de Itabira nos últimos anos.

Para pontuar e garantir verba do ICMS Cultural, os servidores municipais de Itabira enviam inventário e relatórios fotográficos além dos laudos de imóveis históricos. Nos últimos anos, a cidade vem melhorando esta pontuação e consequentemente sua arrecadação.

Dos 853 municípios mineiros, cerca de 700 já possuem legislação própria de proteção ao patrimônio cultural. Por meio de documentação enviada pelos agentes públicos municipais, o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), gestor do programa, analisa e pontua cada município pelas ações promovidas em defesa do patrimônio cultural.

Somente este ano, o Instituto recebeu, para análise, documentos de quase 700 municípios. A pontuação é informada pelo Iepha à Fundação João Pinheiro, que calcula os valores a serem repassados mensalmente aos municípios participantes, em virtude da lei n. 18.030/2009, que determina os critérios para distribuição da cota-parte do ICMS em Minas Gerais, incluindo o critério Patrimônio Cultural.

FCCDA: Às 18h de hoje, a Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA) fez a entrega da revitalização da Biblioteca Pública Luiz Camillo de Oliveira Netto com a participação e declamação poética dos Drummonzinhos. Também houve apresentação artística no Paredão, à rua Tiradentes, durante a programação desta quinta-feira.

O Município destaca que as ações de hoje (8) foram feitas em homenagem ao Aniversário de Itabira, respeitando todas os protocolos preconizados pelo Minas Consciente.

Veja também

Biblioteca da FCCDA é reinaugurada