Vídeo: Preso homem que matou o Padre

Anúncios

A Polícia Militar prendeu um homem de 22 anos que confessou ser autor da morte Barbara do Padre, Adriano da Silva Bastos de 36 anos, Pároco de Simonésia.

O Padre Adriano tinha ido visitar a mãe que está doente, na cidade de Martins Soares e ao retornar para cidade de Simonésia para celebrar missa na paróquia, numa zona rural, sendo ele visto pela última vez ao passar com seu carro Chevrolet Onix, cor branca, pela cidade de Reduto onde estava com a irmã, e depois seguiu viagem sozinho.

Ainda na quarta-feira (14), por volta das 18 horas a Policia Militar foi comunicada por um morador do Córrego Pirapetinga em Mamhumirim, que um corpo estava carbonizado no terreno numa área mais isolada.

As equipes da PM e da Polícia Civil foram ao local, onde verificaram que o corpo apresentava ferimentos de faca. Os irmãos do Padre Adriano também foram ao local e identificaram o corpo como sendo do Padre Adriano.

Assim sendo feito as diligências pelos Policiais Militares onde uma guarnição comunicou que mais sedo, cerca de duas horas antes do encontro do corpo tinham abordaram na região dois indivíduos, sendo um de 22 anos, que estava na companhia de um menor de 16 anos, naquele momento o maior apresentava certo nervosismo e estava com um corte na mão esquerda. Porem os Militares ainda não sabiam o desaparecimento do padre, nem de sua morte, assim ambos foram liberados, mas os dados foram constados como abordagem de rotina.

Diante as informações e localização do corpo as equipes verificaram que o suspeito de 22 anos, tinha sido visto entrando no carro da vítima ainda em Manhumirim, horas antes do desaparecimento e encontro do corpo.

Padre, Adriano da Silva Bastos

Os Militares deslocaram até a casa do suspeito, onde de início ele negou os fatos, porém, ao ser questionado, por várias vezes acabou entrando em contradição e ao final assumiu a autoria do crime bárbaro contra o Padre, alegando que teria um relacionamento amoroso com o padre e que se desentenderam por causa de pagamento de um valor em dinheiro.

Ainda nas delegacia o réu confesso de 22 anos, disse que teria matado a vítima a facadas na terça-feira (13/10/2020) e que na quarta-feira (14) voltou ao local para queimar o corpo e assim não deixar pistas.

De acordo com os Militares o menor de 16 anos, que estava junto alegou não ter participação, porém sabia do fato e não falou nada com ninguém, motivo pelo qual também foi apresentado na delegacia acompanhado do pai.

Ao prestar esclarecimentos o homem de 22 anos, autor do crime disse que um parente seu, teria levado o carro do padre para o Estado do Rio de Janeiro, passando pela rodovia, carro visto pelos agentes da PRF.

Diante disso, o autor foi preso e conduzido para a Delegacia da cidade de Manhuaçu e entregue ao delegado de plantão para as devidas providências.

Padre é encontrado carbonizado